Bonecando: Reginald – Isul Light

Foto de um boneco Isul no modelo Light, com cabeça desproporcionalmente maior que o corpo , porém harmônica, com grande olhos azuis, cabelos castanhas e cor de pele clara. Ele usa um bonê de tons terrosos, camisa listrada clara, gravata xadrez em cor quente e um colete de cor terrosa.

A vantagem de reservar um tempinho para publicações que celebram a história do blog é que posso retomar assuntos que a falta de tempo me fez deixar passar na época que aconteceram, ainda que estejam “ultrapassados”, e seguem relevantes pra mim, bem pessoalmente. Quando comecei a planejar esses posts e refleti sobre algo para marcar 2014 nesse momentinho de passado que reflete no agora, de cara lembrei do melhor presente que ganhei naquele ano, e um dos melhores da vida: o Reginald, meu Isul Light. Desde que esse modelo de boneco foi lançado pela Groove, marca da qual tenho minha coleção apelidada carinhosamente de “Familinha”, fiquei doida por ele pra finalmente adicionar um menino à “turma”, e veio da forma mais gostosa do mundo!

Tudo começou com um outro modelo de Isul lançado, que tinha uma roupa meio de rockeirinho britânico que eu amava na época (e ainda gosto bastante, não vou negar). O boneco em si não tinha o visual que eu queria, meu “crush” foi pelo look, mesmo, mas era uma oportunidade perfeita de homenagear mais um ídolo/ícone ao dar nomes pra bonecas, que é meio que uma marca da minha coleção, dessa vez o maior de todos, Elton John. O nome escolhido foi Reginald, o de batismo do cantor, que eu até já usava no The Sims pra nomear meu filho do jogo. Era perfeito e me fez adiciona-lo na wishlist de vez. Meses depois saiu o lançamento do Isul Light, muito mais bonitinho e do jeito que eu realmente visualizava o Reg, então oficializei o desejo de forma 100% ideal. Gente, eu fiquei APAIXONADA!

Isul Light dentro da sua caixa, de cor marrom escura com o nome do boneco em baixo junto com decorações de luminárias de rua antigas e fundo azul claro.
O famoso “Momento Caixa”!
Luly Lage, uma mulher jovem de pele clara com cabelos escuros presos em duas tranças, segurando em frente ao rosto e admirando o boneco, com a expressão sorridente.
Um minuto para apreciação dessa carinha APAIXONADA!

Tava decidido, fui esperando o momento de $poder$ compra-lo até que, em meados de 2014, meu casal de amigos Mari e Vinicius me avisaram que queriam me dar uma doll de presente. Eu tinha começado a trabalhar com eles lá na Cia do Ponto e foi uma fase delicada da vida de todos nós, em que a gente se apoiou super (e vem fazendo isso desde então), queriam faze-lo como forma de agradecimento. Sabe aqueles momentos em que a gente fica até sem palavras? Foi bem assim. Eles estavam na dúvida, porém, se eu preferia esse boneco, mesmo, ou alguma outra que também gostaria de ter, e nem pensei pra responder porque o Reg era o topo da minha lista. Pediram, as semanas passaram e em 4 de novembro daquele ano, um dos dias de trabalho mais legais que tivemos por lá, ele chegou!

Imagina uma sala comercial, mistura de loja, ateliê e escritório, onde as três pessoas que ali trabalhavam estavam, de repente, promovendo uma entrega de presente regada a lágrimas. Mari chorou me entregando, eu chorei recebendo e o Vinícius chorou filmando a cena. Até Alysson, um amigo nosso que estava lá comprando alguma coisa, ficou todo emocionadinho mesmo sem saber o contexto da história. Foi lindo-lindo, MESMO, um presente que era tão foda pra que deu quanto pra quem ganhou. Provavelmente foi uma jornada de trabalho bem improdutiva, apesar de ter um evento grande à vista, porque o Reginald DOMINOU aquele dia, com fotos, risadas e até tentativas da Mari de fazer roupas pra ele (que acabou conseguindo, eventualmente). Eu fiquei tão encantada, mesmo nas semanas e meses e anos que foram passando, que rapidinho passei a chama-lo de “Mozim”, de tanto amorzinho envolvido na história.

Reginald, o Isul, fora da caixa. Ele veste trajes em tons terrosos que lembram trajes de detetives no século XIX em filmes, com estampa xadrez.
Fora da caixa, ainda em seu outfit original, e o biscoito da sorte que foi a sobremesa naquele dia.
Reginald sem a roupa original, com um moletom de manga curta e zíper na frente cinza e suspensórios azuis. Só é possível vê-lo da cintura pra cima. Atrás, de fundo, um padrão com ícones temáticos da cidade de Londres.
Iti bb *-*

Tenho duas características que refletem de maneira FORTE nessa “familinha” de dolls: o sentimentalismo em relação a TUDO o que me cerca e o costume de criar narrativas em toda e qualquer oportunidade que me surge, automaticamente. Sendo assim, tenho carinho por elas que vai além do valor material, e deixo que criem suas personalidades à medida que vou desenvolvendo as historinhas fotográficas, muito mais frequentes na época que usava o Flickr, mas ainda acontecem no perfil do Instagram que tenho para elas, o @lulydolls. Isso era parte forte do hobby nessa primeira rede quando comecei, em 2009, e rola bastante de forma cada vez criativa na segunda. Eu adoro, é como criar minhas próprias histórias em quadrinhos, mas com fotos, sei lá! Como “personagem” o Reg é bem tímido, mas muito talentoso no piano. Nem preciso dizer da infância de quem essa inspiração veio, né?

Leia também: Resenha do filme Rocketman, que conta de forma lúdica e musical sobre os primeiros 20 anos de carreira do Elton John, em especial sua parceria com o letrista e amigo Bernie Taupin.

O mais legal é que eu, com o tempo, acabei “arrastando” a Mari pro hobby também! Em junho do ano seguinte dei a ela sua primeira boneca de coleção, a Olívia, uma Dal Monomono que ela já era doida pra ter desde que nos tornamos amigas e ficou sabendo dessa paixão toda. Os dois são “padrinhos” do Reginald, que é um costume que a gente tem entre as colecionadoras, e eu sou da Via, ficou tudo em família. Foi essa mesma “coisa” de ser presente pra ambos os lados, uma troca de carinho incrível. A gente já viveu muitas coisas juntas por causa desse fator em comum que nasceu e até comemoramos o aniversário dele em 2016, que foi 50% uma desculpa para fazer um bolo de doce de leite e provar refrigerantes exóticos, mas os outros 50% em homenagem ao meu, ao NOSSO Mozim!

Reginald com uma camiseta cor de rosa da princesa Branca de Neve, da Disney, cercado por dois mini cactos que , ao seu lado, soam cactos de tamanho comum.
Meninos usam rosa, não era assim a fala??
Foto do boneco vestindo como o personagem Newt Scamander, do filme Animais Fantásticos e Onde Habitam, usando camisa branca, gravata borboleta xadrez, colete marrom e casaco longo azul marinho, com uma miniatura da criatura Tronquilho, um humanoide feito de graveto de madeira verde, no ombro esquerdo. A mão esquerda segura uma varinha no ar e a direita uma maleta. Ao funo, se vê uma decoração em tons escuros, com algumas luzes pontuais, e uma mesa cheia de miniaturas de guloseiras.
Reginald Scamander para o último halloween.

Esse post faz parte do Especial 17 Anos de Sweet Luly, que serão completos em 26 de junho de 2021, onde estou escrevendo um texto para cada ano de vida do blog. Esse é o décimo primeiro, referente a 2014.

Reginald - Isul Light | Dia 11 do Sweet Luly Especial 17 anos: posts dedicados a cada ano de vida do blog ao longo de junho de 2021!

Talvez você goste também de:

1 Comment

  1. Olha a foto do Regi ao lado dos cactos ainda bbs…. E a sua carinha de menina altamente in love com ele!!!! Sdd

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *