Mamãe Leona: a verdadeira história do Papai Noel

Mamãe Leona: a verdadeira história do Papai Noel

Mamãe Leona: a verdadeira história do Papai Noel
Capa do livro Mamãe Leona, de fundo claro e lombada vermelha escura, onde o título está no mesmo tom em letra cursiva ao centro. Acima dele, uma sombra de personagem feminina encantando uma árvores de natal, abaixo quatro renas voando, também apenas suas sombras. Autora: Luly Lage
Gênero: Fantasia, Conto
Ano: 2022
Número de páginas: 28p.
Editora: Publicação independente
Sinopse: “Quando a jovem Anna Ofle foi contratada para ser companhia da solitária esposa de um homem importante da sua vila tão fria e distante que foi esquecida pelo tempo, jamais imaginou o que viveria ao lado dela… Após ficar viúva, Leona transformou-se em uma personalidade que, ano a ano, dedicava a herança recebida a fazer mais feliz a vida daqueles que não tinham tanto quanto ela. Aos poucos a “Casa de Mamãe Leona” passou a não medir esforços o ano inteiro para que isso pudesse acontecer, tendo Anna como alguém essencial para que tudo funcionasse tão bem. Mas até quando elas conseguiriam isso?” (fonte)

Comentários: Um ano atrás, o Grupo Quimera publicou duas antologias de Natal para fechar seu 2021 de maneira gostosa. A primeira, “Um Presente Especial”, continha crônicas dos autores convidados sobre como gostariam de presentear alguém que estava longe durante a pandemia e a segunda, a tradicional “Quimeras de Natal”, teve com tema “A Origem de Noel”, ou seja, os contos deveriam trazer versões novas e pessoais da história dessa figura tão marcante nas Festas de Fim de Ano. Pouco tempo depois os livros saíram de circulação e a Quimera nos “devolveu” os textos para que a gente fizesse o que quisesse, então resolvi publica-los agora, que a data chegou de novo. Nosso Feitiço, minha crônica, veio ao ar no blog bem no dia do Natal e o conto, Mamãe Leona, foi publicado de forma independente na Amazon em 17 de novembro, se tornando meu 2º livro solo!

“Você pode não acreditar, mas foi assim que aconteceu…”

Aparelho Kindle aberto na folha de rosto do livro Mamãe Leona, uma versão simplificada da capa, sobre fundo rosa, preto e branco. Ao seu lado, nas margens da foto, margaridas falsas, bolas de natal cor de rosa, uma caneta tinteiro da memsa cor e uma armação de óculos preta.

A história de Mamãe Leona é narrada por Anna Ofle, uma jovem que, ainda adolescente, é contratada como “dama de companhia” de Leona, esposa de um homem muito rico e importante do lugar frio e distante onde elas moravam. Após ficar viúva, Leona se torna a herdeira do marido, possuindo muito mais dinheiro do que precisava para ela e seus dois filhos. Ao observar algumas crianças se divertindo com um brinquedo improvisado alguns dias antes do Natal, ela decide dividir o que tem para tornar a “noite feliz” dos moradores locais mais feliz e abastada, se transformando em uma heroína local e passando a ser chamada de “Mamãe Leona”. A tradição, porém, ao mesmo tempo que emociona alguns, parece enfurecer outros, transformando a vida das duas em um mix de vontade e medo de prosseguir com algo que só faz bem a todos.

“Durante a missa de Natal, não se falava em outra coisa. Todos comentavam em como a jovem viúva reclusa da mansão no fim da rua, da qual mal sabiam o nome, havia espalhado alegria para todo mundo naquela manhã.”

Quando o tema da antologia foi anunciado eu tinha acabado de entrar pra editora e publicado apenas uma crônica por lá, mas imediatamente quis participar porque sou APAIXONADA pelo Natal. Demorei uns dias pra ter o insight do que deveria escrever e assim que a resposta veio até mim foi tão óbvia que fiquei surpresa que não tivesse sido imediata: eu PRECISAVA de uma versão feminina do Papai Noel, simples assim! Pensei em criar a narrativa sob o ponto de vista da Leona, não ficou muito legal, experimentei usar a voz de uma das crianças beneficiadas por ela, não rendeu. E aí Anna caiu no meu colo como a narradora-personagem perfeita, alguém que participou do processo mas que não era a protagonista em sim, com um sobrenome super especial que fica explicadinho no fim da história. No final eu não sabia de qual das duas gostava mais, hahaha!

Aparelho Kindle aberto em uma das páginas do livro sobre fundo rosa, preto e branco. Ao seu lado, nas margens da foto, margaridas falsas, bolas de natal cor de rosa, uma caneta tinteiro da memsa cor e uma armação de óculos preta.

Minha ideia original, que ainda vou desenvolver nos próximos meses (tive que comprar um celular em novembro e por isso foi adiada), era imprimir e encadernar, eu mesma, algumas edições dele para presentear amigos, familiares e leitores queridos, mas à medida que novembro foi se aproximando pensei que seria um desperdício limitar a história da Leona só a essas pessoas, sabe? Eu queria que ela fosse lida por mais gente! Então foi assim que ela ganhou sua versão e-book, com páginas decoradas, capa bem simples feita por mim com lombadinha falsa que será real na impressa, e uma dedicatória à minha vovó Daisy, que por mais que não tenha muito a ver com a personagem precisa ser presenteada com o livro dela, pois era quem mais gostava de Natal nesse mundo todo. Um livro especial em todas as suas etapas, pra um período tão especial quanto…

“Eu não conseguia entender como aquelas pessoas tinham ido do amor ao ódio em tão pouco tempo. Como um pequeno grupo de ricaços convenceu toda uma população de que errada era a mulher que os ajudava a ter um natal mais feliz”

Aparelho Kindle aberto na última página do livro sobre fundo rosa, preto e branco. Ao seu lado, nas margens da foto, margaridas falsas, bolas de natal cor de rosa, uma caneta tinteiro da memsa cor e uma armação de óculos preta.

“Mamãe Leona: a verdadeira história do Papai Noel” está disponível exclusivamente na Amazon Kindle por apenas R$2,99, podendo ser alugado gratuitamente por assinantes Kindle Unlimited. Além desse tenho outros livros publicados, de forma independente e com o Grupo Quimera, e vocês podem conhecê-los na página destinada a eles aqui no blog. Se você ler esse livro, por favor, não deixa de me contar o que achou, vou ficar MUITO feliz, de verdade!

Nosso Feitiço: uma crônica de Natal

Nosso Feitiço: uma crônica de Natal

Se amizade e presença física fossem coisas sinônimas, eu nem sempre seria uma boa amiga. Sendo sincera? Nem ia querer ser! Não ia conseguir cobrar algo do qual não gosto de ser cobrada e nem acho que faz sentido… Tenho amigos com os quais encon...

ler artigo
Um Lugar Bem Longe Daqui

Um Lugar Bem Longe Daqui

Um Lugar Bem Longe Daqui (Where The Crawdads Sing) Elenco: Daisy Edgar-Jones, David Strathairn, Harris Dickinson, Michael Hyatt, Sterling Macer Jr., Jojo Regina, Taylor John Smith, Ahna O’Reilly, Bill Kelly, Charlie Talbert, Garret Dillahunt, L...

ler artigo
O que serei agora…

O que serei agora…

Eu escolhi ser Arte E sendo arte eu escolhi ser Livre E sendo livre eu escolhi ser Leve E sendo leve me permiti ser Eu Eu me permiti ser Cor E sendo cor me permiti ser Rosa E sendo rosa me permiti ser Prosa E sendo prosa escolhi Sentir E assim, agora...

ler artigo
Trinta e dois

Trinta e dois

Durante os primeiros meses de 2022 tive certeza que completar trinta e dois anos me traria toda a crise existencial que os trinta não trouxeram. Repito sempre que envelhecer é em mim positivo, apesar de saber que pode ser um processo MUITO cruel não...

ler artigo
Página 1 de 254