Bonecando: Reginald – Isul Light

Foto de um boneco Isul no modelo Light, com cabeça desproporcionalmente maior que o corpo , porém harmônica, com grande olhos azuis, cabelos castanhas e cor de pele clara. Ele usa um bonê de tons terrosos, camisa listrada clara, gravata xadrez em cor quente e um colete de cor terrosa.

A vantagem de reservar um tempinho para publicações que celebram a história do blog é que posso retomar assuntos que a falta de tempo me fez deixar passar na época que aconteceram, ainda que estejam “ultrapassados”, e seguem relevantes pra mim, bem pessoalmente. Quando comecei a planejar esses posts e refleti sobre algo para marcar 2014 nesse momentinho de passado que reflete no agora, de cara lembrei do melhor presente que ganhei naquele ano, e um dos melhores da vida: o Reginald, meu Isul Light. Desde que esse modelo de boneco foi lançado pela Groove, marca da qual tenho minha coleção apelidada carinhosamente de “Familinha”, fiquei doida por ele pra finalmente adicionar um menino à “turma”, e veio da forma mais gostosa do mundo!

Tudo começou com um outro modelo de Isul lançado, que tinha uma roupa meio de rockeirinho britânico que eu amava na época (e ainda gosto bastante, não vou negar). O boneco em si não tinha o visual que eu queria, meu “crush” foi pelo look, mesmo, mas era uma oportunidade perfeita de homenagear mais um ídolo/ícone ao dar nomes pra bonecas, que é meio que uma marca da minha coleção, dessa vez o maior de todos, Elton John. O nome escolhido foi Reginald, o de batismo do cantor, que eu até já usava no The Sims pra nomear meu filho do jogo. Era perfeito e me fez adiciona-lo na wishlist de vez. Meses depois saiu o lançamento do Isul Light, muito mais bonitinho e do jeito que eu realmente visualizava o Reg, então oficializei o desejo de forma 100% ideal. Gente, eu fiquei APAIXONADA!

Isul Light dentro da sua caixa, de cor marrom escura com o nome do boneco em baixo junto com decorações de luminárias de rua antigas e fundo azul claro.
O famoso “Momento Caixa”!
Luly Lage, uma mulher jovem de pele clara com cabelos escuros presos em duas tranças, segurando em frente ao rosto e admirando o boneco, com a expressão sorridente.
Um minuto para apreciação dessa carinha APAIXONADA!

Tava decidido, fui esperando o momento de $poder$ compra-lo até que, em meados de 2014, meu casal de amigos Mari e Vinicius me avisaram que queriam me dar uma doll de presente. Eu tinha começado a trabalhar com eles lá na Cia do Ponto e foi uma fase delicada da vida de todos nós, em que a gente se apoiou super (e vem fazendo isso desde então), queriam faze-lo como forma de agradecimento. Sabe aqueles momentos em que a gente fica até sem palavras? Foi bem assim. Eles estavam na dúvida, porém, se eu preferia esse boneco, mesmo, ou alguma outra que também gostaria de ter, e nem pensei pra responder porque o Reg era o topo da minha lista. Pediram, as semanas passaram e em 4 de novembro daquele ano, um dos dias de trabalho mais legais que tivemos por lá, ele chegou!

Imagina uma sala comercial, mistura de loja, ateliê e escritório, onde as três pessoas que ali trabalhavam estavam, de repente, promovendo uma entrega de presente regada a lágrimas. Mari chorou me entregando, eu chorei recebendo e o Vinícius chorou filmando a cena. Até Alysson, um amigo nosso que estava lá comprando alguma coisa, ficou todo emocionadinho mesmo sem saber o contexto da história. Foi lindo-lindo, MESMO, um presente que era tão foda pra que deu quanto pra quem ganhou. Provavelmente foi uma jornada de trabalho bem improdutiva, apesar de ter um evento grande à vista, porque o Reginald DOMINOU aquele dia, com fotos, risadas e até tentativas da Mari de fazer roupas pra ele (que acabou conseguindo, eventualmente). Eu fiquei tão encantada, mesmo nas semanas e meses e anos que foram passando, que rapidinho passei a chama-lo de “Mozim”, de tanto amorzinho envolvido na história.

Reginald, o Isul, fora da caixa. Ele veste trajes em tons terrosos que lembram trajes de detetives no século XIX em filmes, com estampa xadrez.
Fora da caixa, ainda em seu outfit original, e o biscoito da sorte que foi a sobremesa naquele dia.
Reginald sem a roupa original, com um moletom de manga curta e zíper na frente cinza e suspensórios azuis. Só é possível vê-lo da cintura pra cima. Atrás, de fundo, um padrão com ícones temáticos da cidade de Londres.
Iti bb *-*

Tenho duas características que refletem de maneira FORTE nessa “familinha” de dolls: o sentimentalismo em relação a TUDO o que me cerca e o costume de criar narrativas em toda e qualquer oportunidade que me surge, automaticamente. Sendo assim, tenho carinho por elas que vai além do valor material, e deixo que criem suas personalidades à medida que vou desenvolvendo as historinhas fotográficas, muito mais frequentes na época que usava o Flickr, mas ainda acontecem no perfil do Instagram que tenho para elas, o @lulydolls. Isso era parte forte do hobby nessa primeira rede quando comecei, em 2009, e rola bastante de forma cada vez criativa na segunda. Eu adoro, é como criar minhas próprias histórias em quadrinhos, mas com fotos, sei lá! Como “personagem” o Reg é bem tímido, mas muito talentoso no piano. Nem preciso dizer da infância de quem essa inspiração veio, né?

Leia também: Resenha do filme Rocketman, que conta de forma lúdica e musical sobre os primeiros 20 anos de carreira do Elton John, em especial sua parceria com o letrista e amigo Bernie Taupin.

O mais legal é que eu, com o tempo, acabei “arrastando” a Mari pro hobby também! Em junho do ano seguinte dei a ela sua primeira boneca de coleção, a Olívia, uma Dal Monomono que ela já era doida pra ter desde que nos tornamos amigas e ficou sabendo dessa paixão toda. Os dois são “padrinhos” do Reginald, que é um costume que a gente tem entre as colecionadoras, e eu sou da Via, ficou tudo em família. Foi essa mesma “coisa” de ser presente pra ambos os lados, uma troca de carinho incrível. A gente já viveu muitas coisas juntas por causa desse fator em comum que nasceu e até comemoramos o aniversário dele em 2016, que foi 50% uma desculpa para fazer um bolo de doce de leite e provar refrigerantes exóticos, mas os outros 50% em homenagem ao meu, ao NOSSO Mozim!

Reginald com uma camiseta cor de rosa da princesa Branca de Neve, da Disney, cercado por dois mini cactos que , ao seu lado, soam cactos de tamanho comum.
Meninos usam rosa, não era assim a fala??
Foto do boneco vestindo como o personagem Newt Scamander, do filme Animais Fantásticos e Onde Habitam, usando camisa branca, gravata borboleta xadrez, colete marrom e casaco longo azul marinho, com uma miniatura da criatura Tronquilho, um humanoide feito de graveto de madeira verde, no ombro esquerdo. A mão esquerda segura uma varinha no ar e a direita uma maleta. Ao funo, se vê uma decoração em tons escuros, com algumas luzes pontuais, e uma mesa cheia de miniaturas de guloseiras.
Reginald Scamander para o último halloween.

Esse post faz parte do Especial 17 Anos de Sweet Luly, que serão completos em 26 de junho de 2021, onde estou escrevendo um texto para cada ano de vida do blog. Esse é o décimo primeiro, referente a 2014.

Reginald - Isul Light | Dia 11 do Sweet Luly Especial 17 anos: posts dedicados a cada ano de vida do blog ao longo de junho de 2021!

Continue Reading

Maquiagem Virtual da Barbie

Outro dia peguei uma escada para guardar umas coisas no alto do guarda roupas, onde deixo artigos científicos, cadernos da faculdade e diários antigos, quando dei de cara com meu CD-rom Maquiagem Virtual da Barbie. Não era realmente o surpresa que ele estava ali, porque tem um cantinho dos CDs no espaço, mas nesse dia em especial perdi pelo menos um minuto admirando a capa até fechar a porta do maleiro com ele na mão, decidida a tentar instala-lo (enfase no TENTAR) no meu computador. Até pensei que não daria certo, porque foi feito para Windows 95 e 98, mas lá no fundo meu otimismo falou mais alto e torci pra conseguir. Cá entre nós, pensando nisso mais a fundo enquanto escrevo esse post, me questiono POR QUE não tinha feito o mesmo em nenhum momento dos últimos 15 anos em que passamos separados, o jogo e eu.

Maquiagem Virtual da Barbie foi um jogo lançado em 1999 pela Mattel, um dos cinco de uma linha específica de jogos digitais para meninas da boneca mais famosa do mundo. Eu ganhei de presente de aniversário da minha madrinha aos 11 anos e nessa época o computador que a gente tinha era o do consultório dos meus pais, que são dentistas, às vezes eles levavam lá pra casa e em outras me deixavam brincar enquanto trabalhavam. Até então eu só tinha 2 joguinhos do tipo, um do Corcunda de Notre-Dame que ganhei junto com a fita do filme (até hoje meu favorito) e outro educativo, dado pela escola, que rodava muito mal então não gostava muito. De repente ali estava, uma opção de uma das minhas personagens favoritas, minha companhia diária das brincadeiras que eu não queria de jeito nenhum deixar pra trás ainda. Fiquei enlouquecida de alegria!

Pois bem, abri alguns artigos sobre como rodar jogos em Modo de Compatibilidade e tudo mais, mas antes de ler pensei em dar a louca e simplesmente enfiar o CD no leitor, apostando na improbabilidade de a reprodução automática funcionar… Improvável, mas real! Na mesma hora uma janelinha abriu com uma faixa de progresso branca se colorindo de rosa enquanto ia de 0 a 100%. Meu coração até tremeu, juro! Me senti uma pré adolescente de novo. Enquanto fechava os artigos abertos e deixava a instalação fluir, pesquisei por gameplays no YouTube e não achei nada relevante. Era oficial: o destino me deu a missão de produzi-las pro meu próprio canal e ter esse registro do início dos anos 2000 pra mim e pra todo mundo que também viveu a mesma coisa. Meu jogo favorito de pré-adolescência se tornou um alento inesperado da “adultice” pandêmica.

Ainda agora, aos 30 anos, gosto MUITO da Barbie, tanto como personagem/item de coleção quanto com a mensagem do “seja o que você quiser”, cada vez mais forte com novos modelos inclusivos e afins, mas naquela época esse jogo significou viver ao lado dela uma experiência que não viria com julgamento no pacote. Minhas amigas estavam começando a deixar de gostar de brincar com as bonecas, enquanto eu amava, mas algumas pessoas concordavam que devia deixar também… De repente, ali estava, uma alternativa que agradava a todas essas pessoas e a mim mais do que qualquer uma delas. Fora que, entre as opções existentes, o escolhido foi justamente o de maquiagem, que eu já dava indícios de que iria gostar um dia com meus batons vermelhos com gosto de morango da Avon e glitter nos olhos em dia de coral… Mal sabia o que estava por vir!

A maquiagem é, hoje, a única coisa que amo, muito, e não transformei em trabalho. Todas as outras já viraram isso também, seja de forma mais ativa ou através da produção de conteúdo. Até já ensaiei produzir sobre aqui e ali, e várias amigas que foram maquiadas por mim me perguntam por que não invisto, dentro e fora da internet. A resposta simples e sincera é que PRECISO de algo que seja puro prazer. Não posso “estragar”, entre muitas aspas, isso também transformando em obrigação. Até QUERIA falar mais sobre, uma vez que falo da minha vida toda, mas pensando na necessidade de tender pra produção mais nichada algo vai ter que ficar de fora, e foi ela que ficou. E agora, com essas gameplays, posso suprir essa vontade e falar de maquiagem ao lado de uma melhor amiga de infância que mesmo inanimada nunca me abandonou, e nunca vai!

Obrigada, Barbie, por mais uma vez me ajudar a ser TUDO o que eu quero ser!

Playlist de Gameplays de Maquiagem Virtual da Barbie:

Continue Reading

Barbie Maya Angelou

Barbie Maya Angelou: foto em close do rosto da boneca, que veste vestido e turbante alaranjados com a mesma estampa

A linha Inspiring Women (ou Mulheres Inspiradoras) da Barbie homenageia grandes mulheres da história em diversas categorias as reproduzindo como bonecas que podem vir a inspirar crianças que vão brincar com elas e, claro, adultas ao coleciona-las, sendo destinadas aos dois públicos. Entre as homenageadas estão artistas, cientistas e esportistas, além de várias outras categorias de modelos que se destacaram em suas áreas. O mais recente lançamento se encaixa perfeitamente na missão atual da Mattel de diversificar as etnias e outras características físicas das bonecas, para que mais pessoas se sintam representadas por elas, com a Barbie Maya Angelou, anunciada esse mês pela marca.

“A boneca Barbie® Maya Angelou está sendo apresentada para homenagear a história e o impacto do ativismo, trabalho e realizações da Dra. Maya Angelou. Esculpida à sua imagem e vestida com um turbante na cabeça e vestido com estampa floral, a boneca apresenta um corpo curvilíneo e articulação para infinitas possibilidades de poses. Com uma embalagem que pode ser exibida, esta celebração da vida e trabalho extraordinários da Dra. Maya Angelou é um grande presente para colecionadores da Barbie® e crianças de 6 anos ou mais.” (Traduzido da loja oficial da Barbie.)

Barbie Maya Angelou: foto de corpo inteiro da boneca, que veste vestido e turbante alaranjados com a mesma estampa, de pé em uma sala em miniatura de aparência confortável.

Nascida Marguerite Annie Johnson em 1928, Maya Angelou foi uma professora, escritora e ativista pelos direitos civis estadunidense. Ela é principalmente conhecida pela sua série de sete autobiografias onde discute, de forma bastante poética, questões como racismo, identidade e família através das experiências de sua juventude. Sua história de vida é marcada por situações pesadas quando jovem, como abuso, trauma psicológico e “sub-empregos”, e muita visibilidade política depois de adulta, sendo um voz forte na luta pela equidade racial e de gênero, sendo pioneira em diversos aspectos da sua vida como mulher negra e carregando uma lista enorme de honras e homenagens quando morreu, em 2014, aos 86 anos. Uma verdadeira “shero¹” que devemos continuar sempre admirando!

Leia também: Barbie Yara Shahidi, mais uma boneca colecionável inspirada em outra mulher ativista negra.

O visual é tão maravilhoso que fica difícil não desejar quando você já tem uma certa afeição por esse tipo de colecionável. Ela usa um vestido comprido laranja com estampa floral preta e branca e detalhe bordado no decote e barra da manga, com um turbante na cabeça feito do mesmo tecido. Os sapatos são simples, um par de sandálias de salto super leve brancas, além de muitas joias douradas de todos os tipos: brincos, anel, pulseiras e até relógio. A parte mais fofa, porém, é uma miniatura de “Eu sei por que o pássaro canta na gaiola”, sua primeira obra auto biografia que a tornou notável na literatura. Confesso que, até onde me lembro, nunca tinha ouvido falar no livro (falha minha!), mas agora tá na wish list porque quero não só ler, como também ter.

Barbie Maya Angelou: foto de corpo inteiro da boneca, que veste vestido e turbante alaranjados com a mesma estampa, sentada em uma sala em miniatura de aparência confortável.

O molde do rosto foi feito exclusivamente para ela, reproduzindo suas feições toda sorridente, complementado pelo corpo curvy, que saiu alguns anos atrás na campanha “A boneca evolui” e é menos magro que o tradicional, apesar de estar longe de ser gordo de verdade, mas relativamente parecido com o dela em vida. Adorei principalmente que ela tem articulações além das cinco básicas, que permitem mover de forma limitada cabeça, braços na região da axila e pernas no quadril, então é possível fazer mais poses mexendo também os cotovelos, joelhos e mãos. Ela vem também com um stand padrão da marca, que a permite ficar em pé, tudo isso dentro de uma caixa BELÍSSIMA com informação sobre a escritora no verso, foto em preto e branco na frente e fundo com cenário amadeirado, simulando um ambiente fechado com prateleira de livros na lateral. É tudo belíssimo!

A Barbie “Inspiring Women” Maya Angelou já está esgotada na loja oficial, mas estava sendo vendida por lá por U$29,99, um valor comum para as Barbie Signature (colecionáveis e, em sua maioria, destinadas a pessoas adultas) que são mais básicas assim. O preço é bem bacana, mas o fato de que esgotou em menos de um mês nos principais canais de venda fez com que outras lojas que ainda a têm no começassem a METER A FACA, cobrando 3 ou 4 vezes o valor original. Apesar de ser um lançamento “Black Label”, um selo que não faz produção limitada, ela tem tudo pra continuar rara, cara e difícil de achar. Maravilhoso para a imagem da Maya, triste pra quem ficou querendo…

Barbie Maya Angelou: detalhe da capa do livro em miniatura que vem com a boneca, de capa preta com detalhes em cores quentes e título em branco.

As fotos desse post foram tiradas do Instagram oficial da Barbie.

¹ “Shero” é um neologismo criado pela Mattel que une as palavras she (ela) e hero (herói), sendo o jeito da marca de chamar mulheres inspiradoras de heroínas!

Continue Reading

Barbie Elton John

Barbie Elton John

Se você já entrou nesse blog ou nas minhas redes sociais alguma vez sabe que tenho dois ídolos, acima de todos os outros, os ícones que mais admiro na vida e que são tema frequente da minha produção de conteúdo: Barbie e Elton John. A primeira pela companhia constante que me fez por anos, ensinando a mim e a muitas meninas que elas podem ser o que quiserem, cada vez mais, e o segundo não só pelas músicas que me fazem tão bem, mas principalmente pelo trabalho filantrópico e simbolismo de quebra de preconceito que representa pro mundo. Amo, consumo, admiro e COLECIONO os dois, sempre que possível, como se fossem pessoas (mesmo que ela seja uma personagem/boneca) presentes meu dia a dia, o que se parar pra pensar é verdade. E agora meus ídolos se juntaram em uma coisa só com o lançamento da Barbie Elton John!

“Barbie® presta homenagem ao lendário cantor, pianista e compositor Elton John. Artista solo masculino de maior sucesso de todos os tempos, Elton acumulou inúmeros álbuns de ouro, platina e até mesmo um diamante, além de inúmeras conquistas da indústria musical ao longo de sua carreira. A Barbie® Elton John brilha com um top brilhante e jeans alargados embelezados com suas iniciais cintilantes. Sua jaqueta bomber com relevo ‘Elton’ apresenta mangas estampadas com estrelas e uma bainha listrada com arco-íris. O aceno ao estilo icônico do artista inclui botas plataforma listradas com o arco-íris, um chapéu-coco roxo e óculos de sol brilhantes em tons rosa. A Barbie® Elton John é uma colaboração ousada que personifica dois ícones culturais e homenageia a extraordinária arte e musicalidade de um artista estelar. Inclui boneca, stand e certificado de autenticidade.” (Traduzido da loja oficial da Barbie.)

Então eu já peço desculpas a você aí, que esperou se deparar com uma publicação séria, profissional e compenetrada ao clicar nesse post, porque antes de continuar com ele, sempre em estado de surto, eu preciso me manifestar da forma mais pura e sincera que consigo nesse momento: AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!!!!

Barbie Elton John: detalhe do rosto
Tronco e rosto (imagem do Instagram @eltonjohn)
Barbie Elton John: boneca de corpo inteiro ao lado de um piano
Posando de corpo inteiro (imagem do Instagram @eltonjohn)

Eu absolutamente AMEI que essa boneca não representa um visual específico do Elton John, como foi na Barbie David Bowie, por exemplo (o que acho bem legal também), mas sim todo um CONCEITO do estilo dele ao longo dessas 5 décadas de carreira marcada por sucesso estrondoso. A calça jeans boca de sino, sapato com plataforma exagerada e jaqueta são bem a cara dele, principalmente nos visuais mais “fantasiados” do início da carreira, mas ainda representam a imagem de hoje em dia com bordados do nome e iniciais, que ele usa MUITO e com orgulho, cores vibrantes e o arco-íris da bandeira do movimento LGBTQIA+, do qual ele é um ícone claro por ter se assumido gay numa época onde poucas pessoas tinham segurança para isso. Pra fechar tem um chapéu coco com a logo dele, combinando bem lindamente com as cores da roupa.

Leia também: Bonecando: Funko Pop! Rocks Elton John 70’s, post mostrando o boneco de vinil do artistas com muitos detalhes (e amor)!

E, claro, não podia faltar os óculos de sol ultra diferentões e chamativos no pacote, que são marca registrada do cantor! Eles têm aros cheeeios de muito brilho e a cor, como não poderia ser diferente, é o ROSA-BARBIE! Essa união é o mais legal de tudo, a maneira como no visual ela preserva a imagem da boneca em si com os cabelos loiros (suuuper cacheados, beeem anos 70/80), olhos azul e toques de rosa em diversos pontos. É a mistura perfeita dos dois, como se a Barbie fosse a maior fã do Elton John e ele o dela, sabe? Apesar de que, cá entre nós, eles vão ter que ficar em segundo lugar, porque a fã número 1 de ambos sou eu, e tenho dito! A caixa também é linda, toda brilhante com logo e foto dele na frente, além da platéia do Square Madison Garden de fundo.

Barbie Elton John: detalhe da jaqueta de zíper onde se lê ''Elton'' bordado na frente, e da camiseta simples e brilhante por baixo.
Detalhes da jaqueta (imagem do Instagram @barbie)
Barbie Elton John: detalhe da calça com bordado das iniciais do artista na barra (E em um perna e J na outra) e das plataformas de arco-íris.
Detalhes da calça e plataformas (imagem do Instagram @barbie)

Pessoalmente é MUITO maravilhoso pra mim ver esse lançamento não só por unir esses símbolos que amo tanto, mas porque são duas coisas que já foram muito mal vistas na minha vida. O fato de eu amar e colecionar bonecas em escala 1/6 tem na cabeça das pessoas um peso muito grande de “infantilidade”, como se anulasse todas as outras coisas que faço, mesmo que alguns itens da Barbie que tenho (como sapato, por exemplo) sejam destinado a adultas. Já Elton John, bem, eu fui MUITO zoada na adolescência por ser fã “dessa bicha velha” (palavras de uma “amiga” da época) e vê-lo com 50 anos de carreira sendo aclamadíssimo, principalmente depois do sucesso que foi Rocketman, me enche de orgulho de cada minuto que passei o ouvindo, admirando, espalhando a história pras outras pessoas e assistindo ao vivo. inclusive, saudades: volta logo, Elton!

Leia também: Mas… Você brinca de boneca?, um post sobre esse hobby e como o sexismo o torna mal visto.

A Barbie Elton John está em pré venda na Amazon.com por U$50, o que é um preço padrão, mesmo, considerando que ela é uma boneca Barbie Golden Label, destinada a pessoas adultas e suas coleções. O frete pro Brasil, já com as taxas de importação, fica em quase 100 dólares, então preferi não converter e acreditar que um dia, magicamente, terei dinheiro para comprá-la… Normalmente eu falo no final desses posts o quanto fiquei desejando a boneca da vez, mas nesse caso é diferente, né? Eu quero MESMO, do fundo do coração, e espero consegui-la em algum momento da minha vida. Até lá, fico aqui, apaixonada pelas fotos que mostram o quanto é linda…

Barbie Elton John: visão da boneca de corpo inteiro, de costas.
De corpo inteiro, de costas (imagem do Instagram @barbiestyle)
Barbie Elton John: imagem da boneca ao piano, tocando, com duas bonecas ao lado assistindo, uma branca de cabelos rosa e a outra negra de maria chiquinha. Ambas vestem uma camiseta com a imagem da boneca principal.
Por fim uma imagem do Instagram @barbiestyle onde eu apareço, já que claramente sou essa de cabelinho rosa na beirada do palco babando nela, só faltou o batom vermelho mas a gente finge que eu tava fazendo clareamento no dia, tá? Quero essa blusa usada pelas tietes dela pra mim!
Continue Reading

Barbie Yara Shahidi

Barbie Yara Shahidi

Nos últimos anos a Mattel tem se esforçado em criar bonecas Barbie cada vez mais inclusivas, não só no visual, mas também na mensagem que pretendem passar para as a nova geração que irá interagir com elas. Mesmo no que diz respeito aos lançamentos destinados a coleção, que não são realmente apropriados para ser vistos como brinquedo, essa ideia vem sendo muito explorada pelos criadores e designers da marca. Uma das novidades mais recentes, anunciada ainda esse mês como parte da campanha que incentiva o voto nos Estados Unidos, que não é obrigatório, é a Barbie da atriz, modelo e ativista Yara Shahidi, que vem lutando bastante para passar essa mensagem à população jovem estadunidense.

“Yara Shahidi está usando sua voz poderosa para inspirar mudanças. Inteligente e motivada, Yara é uma força imparável para a próxima geração. Ela é exatamente o tipo de pessoa que temos o prazer de homenagear como modelo para as meninas ao redor do mundo, e para comemorar com uma boneca Barbie® ‘Shero’! Apaixonada por capacitar seus colegas, Yara usou sua plataforma como atriz, modelo e agente de mudança para lançar ‘We Vote Next’, que se esforça para ajudar novos eleitores a aprender sobre o impacto de usar sua voz e seu voto para moldar o futuro.
(…)
Meninas precisam de mais modelos como Yara, porque imaginar que podem ser qualquer coisa é apenas o começo – ver que podem fazer toda a diferença. Então, pergunte-se: quem você pode inspirar hoje com o presente de uma boneca como essa?”
(Traduzido do blog oficial da Barbie.)

Barbie Yara Shahidi: imagem comparativa da boneca, que usa blusa branca escrito VOTE, conjunto de blazer e carrega uma cédula de votação na mão esquerda, ao lado da atriz na qual é inspirada, que segura um megafone.

Yara Shahidi ficou bastante conhecida ao interpretar Zoey na série Black-ish, mas sua carreira como atriz e modelo já tinha alguns papeis de destaque antes disso, e teve outros depois. Como ativista ela é co-fundadora da Eighteen x 18, uma plataforma para incentivar pessoas da sua faixa etária a votarem pela primeira vez nas próximas eleições presidenciais, que vão acontecer agora dia 3 de novembro. Também atua na erradicação da pobreza através da educação com mentorias on line e já foi notada por grandes nomes femininas da política do país, como Michelle Obama, que escreveu sua carta de recomendação em Harvard, e Hillary Clinton, que entrevistou em 2017 pra Teen Vogue. Nesse momento tão crucial e perigoso da política não só nos Estados Unidos, mas também em diversos lugares do mundo, é MARAVILHOSO ter vozes como a dela elevando a voz de quem muitas vezes não tem espaço pra isso.

Leia também: O Sol Também é uma Estrela, resenha do filme de 2019 protagonizado pela Yara!

A boneca é LINDA, LINDA, LINDA como ela, mesmo. O rosto bastante parecido, sorridente com traços bem fiéis, a pele negra, cabelos cacheados super definidos, tem até cachinhos de “baby hair” pintados no alto da testa, um detalhe bem fofura que é mais perceptível quando você vê fotos de pertinho. Ela veste blusa branca escrito “VOTE”, a logo da campanha, conjunto social cinza mesclado, belíssimo, e um par de tênis brancos. A parte interna da caixa é toda decorada para parecer um cenário de entrevista com os dizeres “Levante Sua Voz” em inglês, e vem também com uma mochila preta com botton “I Voted” (“Eu votei”, em português), mini cédula de votação, que é o método ainda usado nos Estados Unidos, além de estande para mantê-la em pé na estante… Ai, ai, ai *suspiros de desejo*…

Barbie Yara Shahidi: duplas de imagens da boneca, a primeira em close mostrando seu rosto de pele negra, cabelos cacheados e e um pedaço da blusa com a dizer VOTE, a segunda na caixa que vem com seu nome impresso e tem fundo amarelo, onde ela se encontra de corpo inteiro segurando uma mochila.

Esse lançamento faz parte do grupo de bonecas inspiradas nas “shero” da Barbie, que brinca com a palavra “hero” (herói) trocando “he” (ele) por “she” (ela), um neologismo para criar a versão deles da nossa palavra “heroína”, já que lá a expressão não tem gênero especificado. A Mattel usa seu próprio jeito de mostrar que essas mulheres, que fazem parte do que é tão considerado como “sexo frágil”, são na verdade poderosíssimas e usam isso para mudar a vida de pessoas aqui, na realidade, tornando-as ainda mais importantes que heroínas da ficção. Quando a gente analisa o perfil da Yara fica impossível não classifica-la assim, né? Fora o aspecto visual de ser uma garota negra de cabelo bem cheio e cacheado, que foi tão negligenciado por bonecas por muito tempo e agora estão aí, sendo cada vez mais produzidas, para trazer identificação a um número maior de crianças!

A Barbie Yara Shahidi “Shero” já está em pré venda na loja oficial da Mattel por U$29,99, o que é um preço OK considerando que ela é uma boneca Barbie Signature, ou seja, colecionável e destinada a pessoas adultas. Fiz uma simulação por lá para ver quanto ficaria o frete para Belo Horizonte, porém, e deu SESSENTA DÓLARES (assim, por extenso, pra vocês sentirem o impacto), que é mais que o dobro do produto em si. Não tem como saber se, quando e por quanto ela vem pro Brasil, então o ideal seria comprar na gringa, mesmo, num dia futuro e incerto em que viajar voltará a ser parte da realidade de alguns… É isso ou realmente passar vontade, que vai ser minha opção por aqui, como sempre, hahahaha, porque achei realmente bela e adoraria tê-la!

Continue Reading
1 2 3 18