Uma cintura que mostrou várias coisas…

Se a algumas semanas atrás tivesse dito para mim mesma que estaria escrevendo esse post, sério, eu JAMAIS acreditaria. E acho que isso é o mais maravilhoso dessa história toda: o fato de que algo muito forte negativamente na minha vida se transformou rapidinho numa coisa irrelevante e, logo em seguida, em algo ainda mais forte positivamente. Eu até pensei que não deveria escrever sobre isso porque “já passou” ou “já rendeu demais”, mas percebi que nada disso importa e com uma forcinha vindo de um lugar inesperado, pronto, cá estou eu me surpreendendo mais uma vez com a mesma coisa mesmo depois de quase um mês.

O início da história é: já tem algum tempo desde que eu pensava em tirar fotos minhas “seminua”. A palavra é bem forte pra esse caso porque as costas são algo que “todo mundo tem”. Mas nós sabemos que no corpo feminino qualquer sinal mínimo de nudez choca muito mais, ao mesmo tempo que rola fetiche ao redor disso existe também um baita tabu, então era certo que eu jamais faria tal coisa. Até que um belo dia eu fui lá e fiz. Não precisei que ninguém fizesse por mim, eu mesma peguei minha câmera, coloquei no timer e “posei” na frente dela. Assim que vi o resultado achei tudo muito ridículo e jurei que ninguém JAMAIS veria aquelas fotos. Duas horas depois, porém, uma delas estava linda e sépia no meu Instagram. No dia seguinte, por causa da história do “Bela, recatada e do lar”, pronto, foram mais duas que mandei enviar até pro Facebook (que vocês vão ver aí em baixo). Então refleti sobre como, quem sabe, algum dia alguma garota iria ver aquelas fotos e decidir fazer o mesmo. Quem sabe poderia incentivar alguém a se ver de outra forma. Pensei que se o mundo soubesse que eu tenho sardas altamente ODIADAS nas minhas costas e tava mostrando pra quem quisesse olhar, bem, algumas pessoas não precisariam mais esconder alguma coisa nelas mesmas.

Só que a repercussão foi maior do que imaginei. A foto, mesmo fechada para amigos, começou a receber “Curti” e “Amei” durante aquele dia inteiro. Recebi comentários chamando de “Diva” e rolou até um “Uau” muito bem vindo naquele momento. A cada nova notificação eu olhava mais e mais pra elas e o que eu esperava logo antes aconteceu. E sabem o melhor? Aconteceu COMIGO. Olhei tanto que comecei a focar num ponto muito específico de mim mesma: a cintura. E, de repente, eu me vi pensando “Sério mesmo que essa aí sou eu? Sério que essa cintura é minha? Se ela é assim porque diabos eu fico escondendo?”, o que de cara foi uma descoberta meio boba, mas depois virou algo GIGANTE dentro da minha cabeça. Eu percebi que poderiam existir várias outras coisas sobre mim, físicas ou não, que poderiam ser boas e eu nem sabia. Descobri que isso poderia existir nas outras pessoas também, mas que eu ainda não tive a oportunidade de encontrar nelas. E então eu passei a amar minhas fotos loucamente: usei em capa de um vídeo, postei outra no Facebook para discutir parte desse mesmo assunto que estou discutindo aqui agora, cheguei a jogar uma sem efeito nenhum no Twitter pra apoiar a hashtag #MeSintoLindaComoSou, até como perfil do Whatsapp as danadas estão… Inclusive aceitei uma sugestão que recebi e vou IMPRIMIR três delas fazer quadros aqui pro meu quarto. E aí que eu caí em mim e vi que não eram só as fotos (ou minha cintura) que eu estava amando naquele momento. Era eu mesma. E isso foi incrível.

O que começou em mim não parou mais, foi um assunto que eu achei que sequer existiria, mas até hoje surgem pessoas inesperadas vindo falar comigo sobre. Teve gente vindo me chamar pra confessar que também morre de vontade de fazer isso, mas não tem a coragem que eu tenho, e é nesse momento que essas pessoas descobrem que eu sequer tinha essa coragem, ela teve que ir sendo construída sem que eu notasse. Agora acho que tô “encerrando” um ciclo chegando no ponto máximo que achei que não chegaria, que é isso vir parar aqui no blog. Quem ainda não viu pode ter duas reações agora que vai ver: se decepcionar completamente no estilo “todo esse alvoroço só pra isso?” OU entender o que essas costinhas aí representam, que ao meu ver significa ter absorvido realmente todo o resto que foi dito. E aí minha finalização é: fique atento às dicas que a vida te dá que te mostram a pessoa maravilhosa que você é. Elas podem aparecer a qualquer momento, de milhares de maneiras diferentes. Não é algo permanente, em certos momentos fica difícil acreditar nessa “maravilhosidade” toda, mas nos faz cair na real que valemos vale a pena em tantos níveis que a gente mesmo nem imagina…

cwp_04

Esse post foi inspirado na proposta #08 do Creative Writing Prompts, que oferece mais de trezentas ideias legais para desenvolver sua escrita criativa. É o entre os 25 que me propus a escrever até outubro de 2018! A outra foto publicada, que é minha favorita, pode ser vista aqui.

Talvez você goste também de:

27 Comments

  1. Deve ter sido libertador postar algo assim! Ainda mais descobrir tantos pontos positivos e se descobrir amando quem você é. <3
    Também morro de vontade de fazer uma sessão de fotos assim, mas ainda falta a tal da coragem. Heheheh! Quem sabe um pinguinho dela não surja por aqui e eu faça também (pois a experiência deve ser mágica).
    Beijos!

  2. Luly, feliz demais em ler cada palavrinha do que você colocou aqui. Não faz ideia de quão bem pontuado foi e o quão inspirador pode ser (e será!). A vida é uma constante caminhada de aprendizado, erros e acertos. E um dos maiores erros que a gente comete é não crer em nós mesmas, tanto fisicamente, intelectualmente, profissionalmente, etc., etc…. E é muito bom ler e ver que uma mulher – amiga nossa ainda por cima – teve “o momento” engrandecedor, que, certamente, será um divisor de águas em sua vida (porque também foi empoderador). O amor próprio tem de vir primeiro, nenhum outro faz sentido sem ele! <3

  3. Ficaram lindas as fotos, cumadi.
    Elas “chegaram” no momento certo da sua vida e fico feliz por ver que cinco minutos com uma câmera nas mãos desencadeou coisas boas na sua vida.
    Parabéns por ver o quão linda você é e todos já sabiam 🙂
    Bjs

  4. oi, oi.

    Luly, parabéns pela foto e por trazer esse assunto pro teu espaço. acho que é muito importante discutirmos isso mesmo.

    eu não vejo problema algum em fotos do tipo. vc não tá expondo nada absurdo e só provando aquele ditado: amor próprio é tudo na vida. adorei o texto, principalmente a naturalidade das fotos!

    bjs!
    Não me venha com desculpas

  5. Ah, mas eu tenho que continuar os elogios do face: Sambou na cara da sociedade, arrasou.
    Fiquei tão feliz em ler esse post, mais feliz ainda pelo que ela te proporcionou.
    Precisamos de mais fotos assim, pra que as pessoas se amem e se aceitem.

    Beijos lindona!

  6. Se eu tivesse essa cintura, eu também estaria me achando, sua gata! engraçado como a gente as vezes precisa que os outros enxerguem algo de bom em nos pra que possamos ver também ne? Somos tao incentivados a odiar o que incomoda, que esquecemos de amar o que agrada. Arrasou, Luly!

    Beijo
    beinghellz.com

  7. É algo maravilhoso achar seus pontos fortes! Uma vez me forcei por muito tempo a achar pelo menos três coisas que eu gostava em mim, sem incluir o cérebro. Demorei quase uma semana para definir algo. Cheguei a fazer umas fotos mais ‘eumeamo.jpg’ com uma amiga que repercutiram bem mas continuo achando que ‘foto engana’. Tô bem bosta com minha auto estima mas pensando seriamente em fazer umas fotos novamente para me encontrar. Obrigada <3
    Ah, e esse site de ajuda com a criatividade veio em ótima hora <3 obrigada novamente.
    | A Bela, não a Fera || Montando uma barraca iglu|| FB Page A Bela, não a Fera|

  8. Eu achei as duas fotos lindas, Luly!
    Sou suspeita viu? Eu sempre incentivo mulheres a se fotografarem e se enxergarem com outros olhos.

    Se amar, se aceitar e se achar linda.. <3
    Adorei a publicação e as fotos

  9. Tô aqui na dúvida do que é mais lindo: seu texto ou suas fotos!
    Muitas mulheres ao se olharem no espelho não enxergam o quão lindas elas são e tudo isso por causa de quê? Da sociedade que impõe padrões bestas.
    Linda cintura, mostre mais vezes sim! 😉

    Cá entre nós, miga! ?

  10. Eu já tinha visto essas fotos no seu instagram e achei lindas! Amei o seu post contando a sua experiência, nem sempre conseguimos ver nossas qualidades e é muito bom quando temos surpresas assim.
    Beijos

  11. Luly, que post mais incrível! Sério!
    Poxa vida, seu texto me prendeu do começo ao fim e a vontade que tenho é de dizer: parabéns. Parabéns pela coragem, parabéns por descobrir isso em você, esse seu momento, seu encontro deve sempre ser lembrado. Nunca se esqueça o quanto você é especial para muitas pessoas ao redor, em especial, para Deus. Realmente, temos que nos amar sempre, sempre mesmo. Isso é muito importante para nossa alma, se aceitar do jeito que somos. Mais uma vez, parabéns por esse post, por essa atitude, por esse “encontro” seu!
    Arrasou nas fotos! =)

    Amore, tem post novo lá no blog, te convido a vir conferir! =)

    Beijos
    Amanda Z.
    http://www.diariodelooks.com

  12. LINDA, MARAVILHOSA! Belas costas, bela cintura e belo cabelo <3
    Adorei esse post!! Eu quero ter coragem de tirar umas fotos assim qualquer dia hehe… Se amar e ver nossas qualidade é algo incrível né? Eu tenho sérios problemas com isso, todo dia tenho que me policiar para não me criticar tanto… É foda 🙁
    Parabéns pelo post 🙂

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

  13. Amei o post! E as fotos estão realmente lindas mas o texto diz tudo, é bacana quando a gente se gosta, se acha bonita, em primeiro lugar, quando somos positivas conosco o mundo enxerga a beleza que temos também, assim como você mesma disse sobre os comentários que recebeu, sua coragem foi maraaa, tem muita gente que tem a “coragem” de humilhar as pessoas, falar mal, mas não se enaltece, não sabe a beleza que tem.. é bacana quando descobrimos isso, arrasou! Beijokas 🙂

  14. Nossa, Luly! Que inspirador! Sério. E é a mais pura verdade, tem certas partes do nosso corpo que a gente não gosta tanto, depois de um tempo a gente começa a gostar por causa de algumas mudanças de visões. Eu detestava meu nariz, achava ele muito grande, odiava, até o dia que começaram a me perguntar se eu tinha feito plástica no nariz porque era muito “perfeito” que parecia ser plástica, aí comecei a ver meu nariz por outros ângulos e agora gosto dele. Muito louco isso né?

  15. Quando eu vi a foto no instagram eu pensei “uau, que foto mara” rs Ficaram lindas de mais *-* E que bom que essas fotos te ajudaram a se amar ainda mais, isso é muito bom 🙂 Espero que tenha conseguindo incentivar outras pessoas rs Parabéns pelas fotos e pela descoberta 😉
    Beijos! =**

  16. Omg, vc me falou de um corpaço. Ó o seu aqui mulher hahaa obrigada pelo comentário lindona, vc é uma fofa e eu te adoro.

    Agora sobre o seu post, aplaudo de pé, você falou tudo. Também sempre tive vontade de tirar foto “seminua”, acho super bom pra auto estima, e amor próprio. O que você diase foi lindo, a gente tem que se amar com tudo que temos. Suas fotos tão lindas e a sua cintura também 😉

    E você ja me inspirou, quero tirar foto assim também hahahaha
    Se amar é muito bom mesmo. ?

    Beijos :*

  17. Eu acho que esse tipo de foto, mesmo que não postada fazem mesmo toda a diferença na nossa percepção de nós mesmas! Eu postei umas assim no meu blog a um tempo atrás, para um tema de desafio fotográfico (http://kdreamkingdom.blogspot.com.br/2015/03/lente-criativa-partes-de-mim.html) e eu me surpreendi pelo feedback positivo da galera! Gostei muito de fazer, quero fazer de novo, e gostaria de fotografar para outras meninas também talvez! 🙂
    Sua foto esta maravilhosa, você esta maravilhosa, e é uma maravilha poder nos sentirmos assim 🙂

  18. Que post incrível e inspirador! Suas fotos ficaram lindas! Eu mal posto fotos minhas na internet, apesar de ter tido uma época da minha vida que isso era praticamente a única coisa que eu fazia, mas agora falta vontade, auto estima, sei lá, não dá vontade. Gostei de ver como isso te fez bem, talvez um dia algo assim aconteça comigo também, rs. Beijos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *