Para Todos os Crushes Que Um Dia Odiei – Adriel Christian

Para Todos os Crushes Que um Dia Odiei: aparelho Kindle ligado aberto na capa do livro onde se lê o título sobre formas geométricas que formam um envelope através do contraste de tons de cinza. Atrás, envelopes coloridos, tecidos com estampas de coração e um CD saindo de uma capa floral compõe o fundo da foto.

Para Todos os Crushes Que Um Dia Odiei *****
Para Todos os Crushes Que Um Dia Odiei: capa do livro, dividida geometricamente nas cores azul, amarelo e branco, de forma que lembre uma carta, onde consta o título, saindo de um envelope, que tem o nome do autor escrito na parte de baixo. Autor: Adriel Christian
Gênero: LGBTQIA+
Ano: 2021
Número de páginas: 41p.
Editora: Publicação Independente
ISBN: B08RZ9B484
Sinopse: “Amores: quantos você já teve? Dois, três… Dezenas? Independente da quantidade, cada pessoa que passa por nossa vida deixa marcas. Algumas são bem dolorosas, outras nos trazem sorrisos. Infelizmente, não tenho sorte na hora de escolher por quem me apaixonar. Na verdade, nem escolho! A porta do coração fica aberta para qualquer um entrar (e me machucar). ‘Para todos os crushes que um dia odiei’ é um grito a mim mesmo de que, apesar da decepção, há males que vêm para o bem.” (fonte)

Comentários: Todo mundo já se apaixonou um dia, né? Seja aquele amorzinho platônico que vai ser sempre saudade gostosa, amorzão avassalador que vem com saudade doída ou mesmo amores que não dão saudade nenhuma, o fim da paixão é um desafio generalizado. Nesse Livro, Adriel Christian fala sobre cada um dos seus “crushes” que um dia amou e depois odiou, mas aprendeu a superar, um por um, à medida que os anos foram passando. São 8 cartas destinadas a 8 caras diferentes, além de uma que é quase para ele mesmo, onde fala sobre o que aprendeu na montanha russa de emoções de viveu entre 2012 e 2019.

Para Todos os Crushes Que um Dia Odiei: aparelho Kindle ligado aberto na capa do livro onde se lê o título sobre formas geométricas que formam um envelope através do contraste de tons de cinza. Atrás, envelopes coloridos, tecidos com estampas de coração e um CD saindo de uma capa floral compõe o fundo da foto.

“O amor não pede licença para entrar, não bate os pés no tapete da porta, tampouco pergunta se tem alguém em casa. Ele só aparece e dane-se a gente.”

Para Todos os Crushes Que Um Dia Odiei passa por todas as fases possíveis do pós-romance, como tristeza, amargura, raiva, revolta, acusação, reflexão, alívio, aceitação. Ele conta como os conheceu, se envolveu, percebeu que estava apaixonado, acabou se afundando em ilusões até, enfim, se ver livre de cada um deles. É, como ele mesmo diz, um grito para provar a si mesmo que tudo aquilo é passado, que ele consegue pesar quem teve sua parcela de culpa no presente e, por que não(?), que existe um longo futuro pela frente. Se ele vai ser promissor só dá pra saber vivendo, mas uma coisa é sempre líquida e certa: todo romance chega ao fim! Em vida ou não, experiências e sensações uma hora acabam, e não é justo com nós mesmos não aceitar essa realidade e nos sentir fracassados quando acontece, porque não somos.

Para Todos os Crushes Que um Dia Odiei: aparelho Kindle ligado aberto em página do livro onde se lê o título 'Ah, o amor' e uma introdução do autor sobre a proposta do mesmo. Atrás, envelopes coloridos, tecidos com estampas de coração e um CD saindo de uma capa floral compõe o fundo da foto.

“Ninguém entrou na minha vida de forma obrigada. Todos tiveram espaço para entrar, sentar no sofá e desfrutar dos meus sentimentos e fragilidades.”

É muito revigorante ver como seu “tom de voz” muda à medida que as histórias avançam, permitindo a si mesmo abrir mão da parcela de sentimentos que o fizeram mal. Além disso o livro tem, no início de cada capítulo-carta, uma indicação do que ouvir, te permitindo embarcar ainda mais no interior do autor ao ouvir as músicas que ele relaciona aos crushes não mais odiados. Cá entre nós, livro com trilha sonora é sempre bom demais, né? Essa é cheia de pops e da sensação de que não tem desilusão amorosa que não seja curada por uma boa dose de tempo (e, vamos ser sinceras aqui, novas doses de amor)!

Leia também: o que eu penso antes de dormir – Augusto Alvarenga, resenha do livro mais recente do autor Augusto Alvarenga.

Adriel Christian mora em Araguaína, no Tocantins, trabalha com mídias sociais e tem três contos publicados de forma Independente na Amazon, além de duas participações em antologias, que vocês podem conhecer no Instagram, Twitter e no blog Não me Venha Com Desculpa. Para Todos os Crushes Que Um Dia Odiei está disponível como e-book na loja Kindle da Amazon por R$5,99 e aluguel de graça para usuários Kindle Unlimited. Ele é também autor de um dos depoimentos que contam na quarta capa da versão impressa de “Wish You Were Here: um romance musical”, meu livro, mas isso não tá no currículo, não, só mesmo aqui dentro do coração!

Talvez você goste também de:

6 Comments

  1. Oieee! Nossa, lendo o título e também o contexto em si da história, me peguei a pensar que quantas vezes a gente se apaixona e, quando o tempo passa, pensamos: “Puxa, como pude!” (rsrsr)
    Parece uma leitura fluida, curtinha e com uma diagramação que me cativou (coisas de escritora! (Hahaha)
    Adorei a dica!
    Bjs

  2. ai, luly!!! vc me emocionou de tantas formas!

    eu estava na fila do exame do covid, com medo de testar positivo quando chegou a notificação. eu só queria chorar no meio das pessoas. :'(

    vc, como escritora e artista, sabe bem o tanto que faz bem a gente receber o feedback sobre o nosso trabalho. o seu post deu um quentinho no coração, fez valer a pena toda a minha insegurança ao expor as histórias.

    muito, muito obrigado por isso e por tudo! <3

  3. Que livro mais engraçado! Tenho certeza que você se emocionou e se divertiu lendo essa história. Sempre que eu posso faço leituras de livros nacionais e divulgo nas minhas redes sociais, os autores são muito desvalorizados e precisam do máximo de divulgação que conseguirmos. Fico feliz que tenha gostado do livro e espero ter a chance de lê-lo ainda esse ano.

  4. Livros com trilha sonora sempre são muito mais legais! Hahaha!
    Amei a proposta do livro, quero escrever uma carta pra cada crush que já passou por aqui também. Não parece uma ideia incrível? Escrever uma carta pra finalmente deixar ir…
    Adorei a indicação.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *