5 dicas para não deixar o cartão de crédito te afundar!

Foto de uma mesa com papéis desfocados em sua superfície, onde está apoiado o que parece ser um homem de pele escura e camisa social, em uma mão segurando um celular e na outra um cartão de crédito, ambos na direção dele.

Se tem uma coisa que pode ser tanto melhor amigo quanto pior inimigo da nossa vida financeira é o cartão de crédito, né? Tão pequenininho, cabe na palma da mão e no bolso da carteira, mas com potencial para grandes aquisições que nos fazem feliz e, claro, dívidas que trazem desespero. Eu confesso que por aqui já caí nas armadilhas que ele prepara, comprando aquilo que queria muito, mas não tinha realmente dinheiro pra pagar na hora… Mas agora aprendi a lição e sei lidar lindamente, sempre! Por isso, quase como uma anciã passando a mensagem de sua sabedoria aos pequenos gafanhotos, estou aqui humildemente trazendo 5 dicas para usufruir das maravilhas do cartão de crédito sem deixar que ele te afunde de maneira tão rápida – e suja – quanto areia movediça!

1. Mantenha o limite dentro do que é pagável para você

Fala sério, receber aquele aviso que seu limite aumentou é bom demais, né? Parece que você quase ganhou na loteria, as possibilidades aumentam e aquela compra que não pôde ser feita antes por ultrapassar o valor que você podia gastar antes enfim vai sair dos planos e se tornar realidade… Mas não esqueça que ela vai precisar ser paga depois! Mesmo que a empresa do ser cartão te dê mais crédito, vale a pena ajusta-lo no app para um número mais perto da sua realidade. Principalmente porque depois, se sua renda aumentar ou houver alguma emergência, é possível fazer o reajuste para o limite máximo!

2. Não conte com dinheiro futuro que não é certo

Sabe aquele job inesperado que apareceu do nada no e-mail, super legal e tudo a ver com os trabalhos que a gente mais gosta, e levam nossa mente diretamente para onde o dinheiro que vamos receber pode ser direcionado antes mesmo de fechar o acordo? OPA, ALERTA VERMELHO AÍ! Dinheiro proposto não é dinheiro garantido, não! O salário fixo de todo mês, os trabalhos fechados cuja data de pagamento já se aproxima e tudo aquilo que é seu por direito tudo bem, mas o que não foi 100% confirmado não pode ser arriscado. O mesmo vale pra graninha que TALVEZ sua vó vai te dar de aniversário como todos os anos ou QUEM SABE vai sair de algo que está há muito tempo pendente… Deixa pra gastar depois que já estiver na conta.

3. Sempre que possível, adiante suas parcelas pendentes

Ok, o limite aumentou e a grana extra saiu, ‘bora parcelar mais uma comprinha que ‘tava querendo loucamente e mandar brasa… Mas espera, será que não tem nada parcelado atravancado sua vida ali que pode ser antecipado pra tirar um super peso das costas? Qualquer empresa de cartão de crédito permite esse tipo de movimentação e é sempre um alívio saber que tem como ficar livre de algo que estava te “prendendo” antes do prazo planejado…

4. Escolha o tipo de cartão certo para suas necessidades

O cartão que seu amigo usa e oferece para enviar o convite para você fazer o seu também nem sempre vai satisfazer suas necessidades, mesmo que satisfaça as deles e vocês tenham vidas parecidas. Pessoas são singulares e suas vidas financeiras idem! O ideal é sempre escolher o cartão que vai suprir SUA realidade, afinal é você quem vai pagar a fatura todos os meses. E se não souber como escolher a Plusdin faz isso por você! É um serviço que oferece conteúdos sobre o assunto e até um teste que te ajuda a perceber seu perfil, sugerindo o que melhor se encaixa nele, seja sua preferência por anuidade gratuita, possibilidade de cashback ou até descontos nas lojas que mais frequenta. E o melhor? É totalmente gratuito! Eles também fazem recomendação de contas digitais e empréstimos, tudo pra suas finanças ficarem em dia.

5. Lembre-se diferenciar vontade de necessidade

É óbvio que é maravilhoso poder parcelar compras mais caras, adiantar algumas coisas que você teria que esperar o 5º dia útil do mês para adquirir e fazer pedidos em sites internacionais onde nem a moeda é a mesma, quiçá a forma de pagamento. Mas, cá entre nós: será MESMO que não dá pra segurar um pouquinho até o número de pendências diminuir e você normalizar mais sua vida? Será que vale a pena comprometer seu limite, que pode ser tão importante em uma emergência que nos pega sempre de surpresa, em nome de algo que pode vir um pouquinho depois? Saber se parar nossa vontade daquilo que tem real necessidade é o primeiro passo pra não se afundar nele que pode ser aliado, ao invés de inimigo!

Imagem de uma mulher de pele clara e cabelos escuros sorrindo, segurando em uma mão um celular e na outra um cartão de crédito, ambos na direção do expectador.
Imagem via Plusdin.

Psiu! Prest’enção! Esse post é uma publicidade da Plusdin, que você pode conhecer através do site e de redes sociais como Facebook, Instagram e LinkedIn.

Talvez você goste também de:

6 Comments

  1. Eu fiquei 6 anos ou mais sem saber o que é cartão. Justamente porque não queria me enfiar em dívidas novamente hahaha. Voltei a usar, mas com essa responsabilidade. ? Adorei as dicas

  2. oiee!

    excelentes dicas, Luly!

    eu gosto de usar o cartão naqueles momento de emergência, quando não tenho mesmo nenhum centavo no bolso, ou quando preciso parcelar.

    a dica de ter cuidado com o limite é fundamental. uma época eu usei mais do que podia pagar e passei quase 1 ano parcelando uma fatura. foi terrível.

    fui lá no site fazer o teste pra saber qual cartão usar e me indicaram um pré-pago. é boa dica tbm. usar somente o que temos. na época da faculdade eu fazia isso e funcionava bem. 🙂

    bj!
    Não me venha com desculpa – Adriel Christian

  3. Ótimas dicas!

    O capitalismo deixou tudo muito consumista, e a maioria das nossas compras não são realmente necessárias se prestarmos atenção.

    Ultimamente tento economizar em bens materias para usar em experiências inesquecíveis, como passeios.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *