Garoto Encontra Garoto

Garoto Encontra Garoto

Garoto Encontra Garoto (Boy Meets Boy) *****
Autor: David Levithan
Gênero: Jovem Adulto, LGBT
Ano: 2014
Número de páginas: 240p.
Editora: Galera Record
Sinopse: “Nesta mais que uma comédia romântica, Paul estuda em uma escola nada convencional. Líderes de torcida andam de moto, a rainha do baile é uma quarterback drag-queen, e a aliança entre gays e héteros ajudou os garotos héteros a aprenderem a dançar. Paul conhece Noah, o cara dos seus sonhos, mas estraga tudo de forma espetacular. E agora precisa vencer alguns desafios antes de reconquistá-lo: ajudar seu melhor amigo a lidar com os pais ultrarreligiosos que desaprovam sua orientação sexual, lidar com o fato de a sua melhor amiga estar namorando o maior babaca da escola… E, enfim, acreditar no amor o bastante para recuperar Noah!” (fonte)

Comentários: Vamos parar agora e imaginar a cidade dos sonhos, onde muitas vezes nem é preciso “sair do armário” para a família, pois eles já sabem quem você é e aceitam isso. Onde a quarterback do time da escola é uma trans diva que consegue jogar sem quebrar as unhas e ainda ser rainha do baile no fim do ano. Onde quem é condenada é a família religiosa que não aceita o fato de que seu filho é gay, e não o contrário. Pois bem, é nessa cidade que nosso protagonista, Paul, vive ao lado de seus pais, irmão e, claro, o ex namorado Kyle, que apesar de não ter decidido sobre sua sexualidade ainda persegue o garoto pela escola. E numa noite saindo com seus melhores amigos, Tony e Joni, é que Paul conhece Noah, por quem se apaixonada imediatamente. As coisas estavam indo muito bem e muito lindas até que ele consegue estragar completamente esse novo relacionamento e tem que dar um jeito de reverter essa mancada ao mesmo tempo em que lida com a falta de aceitação que Tony tem dentro de casa, o novo namorado (muito) babaca de Joni e suas responsabilidades dentro desse colégio tão diferente.

Toda essa história soou um pouco clichê ao ouvido de vocês agora? Sim, eu sei que sim, mas a grande sacada desse livro é que nele David Levithan conseguiu criar uma comédia romântica com os mesmo elementos de todas as outras, porém completamente diferente. As personagens estão inseridas nesse mundo ideal batalhando para torná-lo cada vez melhor, mas ainda assim existe um peso enorme nas costas deles por estar se descobrindo e se abrindo pro mundo. Nosso protagonista vive seu dilema amoroso e precisa correr atrás do rapaz que provocou nele uma paixão tão avassaladora, o que gera o clímax do livro, mas nem de longe esse é o ponto mais importante da sua vida naquele momento porque, assim como todos nós, existem várias coisas para superar ao mesmo tempo e tantas outras com as quais ele não pode lutar contra, apenas tentar torná-las, no mínimo, aceitável. É aquela leitura que aborda temas da vida real de forma leve, você termina tudo rapidinho, e mesmo que o objetivo seja causar risadas o autor trás isso de forma EXTREMAMENTE sensível, quase poética, fica impossível não chorar de emoção em certos momentos. Não achei uma obra de arte para mudar a minha vida, mas cumpre maravilhosamente sua função como entretenimento e, ao mesmo tempo, nos trás algo a se pensar, seja durante o enredo ou depois de terminar.

E eu não posso deixar de falar do conto de dia dos namorados que temos ao final do livro onde Infinite Darlene, a jogadora de futebol americano transsexual da história, tem seu momento de protagonismo. Engraçado porque o livro acaba meio de repente e aí vem esse “curta” maravilhoso depois, onde a personagem está em um encontro que quebra vários tabus e mostra que o que importa, o que vale a pena sentir, é o que nos somos lá no fundo. Se você ainda não havia se emocionado com Paul e sua turma esse é o momento, porque Darlene faz a gente sonhar mais ainda com um mundo inteiro baseado nessa cidade maravilhosa, onde orientação sexual e identidade tgênero são o que menos importa perto do universo particular que existe dentro de cada um de nós.

Garoto Encontra Garoto

BEDA2016

Talvez você goste também de:

17 Comments

  1. Por um momento achei que era um livro que a Fabíola Melo (youtuber cristã) indicou chamado “Garoto encontra Garota” e tava impressionada aqui com esse papo de “sair do armário”, falar sobre transgênero dessa forma, e eu aqui pensando “nossa, não sabia que o livro era tão incrível assim!”.
    Essa frase sobre o cupido e a chave me lembrou meu último post <3. Gostaria muito de apreciar essa leitura.

  2. Eu simplesmente amei o trecho com a chave, super criativo ao invés de colocar o quote digitado . Eu não conhecia esse livro, vou procurar depois que li o seu post. Comédias românticas é um gênero que nunca li e o assunto abordado é muito legal, precisamos falar com naturalidade e acho que o livro passa isso, lerei com certeza.

  3. Gostei da história, principalmente do detalhe da rainha do baile ser uma drag, arrasou.
    Seria legal um mundo assim, onde as pessoas não precisassem sair do armário, era só ser e pronto.

    Beijos

  4. Não é comum encontrarmos livros com esse temática, e eu acho muito interessante essa abordagem, principalmente nos dias de hoje onde o relacionamento homossexual se tornou algo tão comum quanto o hetero, assim como os transgeneros! Gostei muito da sua resenha, ficou bem detalhada e de uma leitura bem agradável.
    Fiquei bem curiosa pra ler o livro 🙂
    Beijão!

  5. Amei a resenha, ainda não tinha lido nada a respeito desse livro, mas achei incrível um livro que aborda temas como esse. Seria mesmo perfeito uma cidade assim, né?

    Beijooos
    Yanna Karim

  6. Que história diferente, me lembrou aqueles quadrinhos de universo paralelo haha
    Parece ser bem interessante, adoro livros de romance e a temática desse livro me chamou a atenção, acho que leria ele, ainda mais por você dizer que tem partes engraçadas e outras emocionantes 🙂
    Muito legal a resenha e muito criativa a forma que você fez seu quote, adorei!
    Beijos

  7. A história parece ser bem interessante. Apesar de não conhecer muito sobre as obras do autor, esta parece ser muito boa. E com a sua resenha, despertou em mim um grande desejo de le-lo. Gostei bastante do livro e da forma como o resenhou. ? Ah, e eu amei a frase que você colocou em foto no final!!

  8. já ouvi falar do livro meio quepor cima. com a sua resenha me aprofundei um pouco mais na história 🙂 parece ser muito legal. nunca li um livro com essa temática, que trata desses assuntos (tudo por falta de oportunidade!), mas me interessei pela história, ainda mais por seu meio ~comédia~ hehe.

    beijos.

  9. YA não é um gênero literário que me agrada ( nem os livros do John Green tive paciência de ler) mas a sua resenha me despertou uma curiosidade. O fato de haver uma crítica social, algo um pouco mais profundo por baixo da batida estória de adolescentes no high school é bem interessante.

    Beijos 🙂

  10. Meo, que demais esse livro! Realmente um mundo perfeito, onde todos podem ser como são de verdade, sem precisar de esconder por gostar de alguém do mesmo sexo ^^ E sabe, é preciso ter mais livros assim, com essa temática LGBT, que tire o tabu, que os jovens possam ler e curtir um romance entre dois garotos, torcer, se apaixonar e essas coisas :33 Por mais literatura libertadora, yaaay ~ amei sua resenha!
    Beijinhos com amor,
    Pequeno Mundo de Sarah

  11. Li Will e Will e Todo Dia e gostei da escrita do autor. Pela tua resenha parece que esse livro também na decepciona. Fiquei curiosa pela história principalmente quão esse quote que você colocou no post.

  12. Só pela frase da foto “talvez as flechas do cupido não sejam flechas. Talvez, nas mãos certas, sejam chaves.”, já me interessei pela leitura. Estou com Will & Will na fila de leitura e, se tiver a empolgação desse, acho que valerá a pena, porque não confio taaanto assim no John Green… ahahaha
    xoxo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *