Frozen II

Frozen II

Frozen II *****
Frozen II Elenco: Idina Menzel, Kristen Bell, Jonathan Groff, Josh Gad, Alfred Molina, Evan Rachel Wood, Jason Ritter, Martha Plimpton, Rachel Matthews, Santino Fontana, Sterling K. Brown
Direção: Chris Buck, Jennifer Lee
Gênero: Animação
Duração: 103 min
Ano: 2019
Classificação: Livre
Sinopse: Anna, Elsa, Kristoff e Olaf se aventuram nas profundezas da floresta para descobrir a verdade por trás de um antigo mistério do reino.” Fonte: Filmow.

Comentários: Depois do sucesso estrondoso de “Frozen: Uma Aventura Congelante”, lançado 6 anos atrás, a Disney resolveu apostar em uma continuação como seu destaque da virada de ano em 2019/2020. A história das irmãs órfãs Rainha Elsa e Princesa Anna de Arandelle, após enfim aprender a controlar os poderes de gelo da primogênita que quase colocaram tudo a perder quando foi coroada, continua, dessa vez numa jornada em busca da paz entre seu reino e o da floresta presente em seus arredores, dois povos antes tão amigos que se separaram após uma inexplicável batalha presenciada por seu falecido pai ainda quando adolescente. O que impulsiona essa viagem, ao lado dos inseparáveis companheiros Kristoff, Olaf e Sven, porém, é um chamado musical que apenas Elsa consegue escutar, provando a ela que existe mais por trás desse velho “conto de ninar” do que elas imaginam…

Apesar de AMAR o primeiro e ter um carinho muito grande por ele, preciso admitir que o sucesso não condiz com a qualidade em si. Frozen apresenta vários furos no roteiro e aparições desnecessárias, o que faz muito sentido uma vez que originalmente estava planejado para contar uma história bem diferente da que foi lançada. Ainda assim o carisma dessas irmãs que são o amor verdadeiro uma da outra e dos seus amigos, que funcionam como alívio cômico em diversos níveis diferentes, conquistou o mundo a ponto de conseguir duas continuações em curta metragem e agora, enfim, um longa. Esse, por sua vez, não só corrige os erros passados como também traz uma nova trama tão envolvente e deliciosa que passa de forma fluida e, quando pertinente, bastante divertida.

O aspecto principal do filme, a relação em constante reconstrução de Elsa e Anna, permanece sendo o ponto forte. As duas se unem em busca do seu passado, como forma de garantir o futuro, mas também abrem mão uma da outra quando necessário. Ambas mantém suas personalidades, mas claramente cresceram bastante desde que nos foram apresentadas e esse crescimento é ainda maior do início para o final dessa nova aventura. Eu adoro analisa-las de acordo com seus signos solares, uma vez que a Disney divulgou suas datas de nascimento como sendo nos solstícios de inverno e verão do hemisfério norte, respectivamente. Elsa é toda de capricórnio (faz aniversário hoje!) e Anna tão canceriana que parece até que os roteiristas levaram isso em consideração ao construí-las. São signos opostos complementares como as duas, cada uma é MUITO brilhante ao seu modo e especiais quando juntas, mais uma vez. Um foco belíssimo que, felizmente, permanece.

Frozen II
Elsa e Bruni em Frozen II | Imagem via Star Tribune

Um novo grupo de personagens coadjuvantes é apresentado com os moradora da floresta, nenhum deles se destaca mais que o “elenco” original, mas todos têm sua função na história, não tem nada “jogado” como foi o Duque de Weselton no primeiro, que não trouxe nenhum propósito além de risadinhas fracas. Somos apresentados também aos espíritos dos quatro elementos da natureza enquanto elas descobrem a possibilidade de um quinto espírito, e é nesse momento que Bruni, uma salamandra super fofinha que representa o fogo, capta os corações da platéia. A escolha da iconografia dos espíritos e da ação de cada um é super pertinente e, eu diria, foge um pouco do clichê que se forma na nossa mente quando pensamos no assunto. Escolha certeira e, claro, mil possibilidades para merchandising.

Gostei muito do desenvolvimento do Olaf nessa continuação porque, mesmo sendo um grande queridinho do público, era uma personagem com a qual eu não simpatizava muito, como alívio cômico o Sven me atraía mais. Dessa vez ele não só diverte como também levanta questões e curiosidades que, de fato, influenciam na trama, mas sem perder seu lado engraçadinho. Assisti à versão dublada e a voz do Fábio Porchat é o grande destaque nela, combina perfeitamente! Inclusive, se você gosta dele, não deixe de ficar até o final para uma cena pós créditos singela, mas que vale a espera. Os demais “secundários principais” permanecem com a mesma relevância de sempre, nem ganho, nem perda.

Por outro lado as músicas tema não têm a força da trilha sonora anterior! O hit “Into The Unknown” não chega nem perto do intenso “Let It Go” e mesmo que os números sejam sensíveis, com o visual super bonito, você não sai do cinema com nada “grudado” na cabeça. Talvez para os pais sejam uma vantagem, mas se tratando de um musical foi levemente decepcionante. Já no que diz respeito à versão brasileira, as dublagens são maravilhosas com a triste exceção da Elsa, que infelizmente não consegue ter a qualidade vocal e personalidade da Idina Menzel… Ainda assim vale a pena pelas demais personagens, com suas piadas pertinentes e algumas lágrimas de alegria pelo final digníssimo carregado de emoção. Eu simplesmente amei o desfecho e, agora que o assisti, não consigo pensar em nada melhor!

Leia também: Disney On Ice: Mundos Fantásticos

Trailer:

Continue Reading

Links da Semana #11

Links da Semana

TÁ ROLANDO BLOGMAS NO SWEET LULY, MENINES!!! Não sinalizei em lugar nenhum, até esqueci da tag em alguns posts (preciso corrigir isso aí) mas, vejam bem, a primeira semana passou e permaneço firme, forte e VIVA! Ok que não tá rolando de divulgar os posts, quase ninguém tem lido, mas não importa, eu precisava muito dessa maratona pra desenferrujar, já que esse ano bloguei super pouco e novembro bateu os recordes da negligência… Enfim, falemos de coisa boa, falemos de links da semana que é uma ótima força de não precisar gastar neurônios no post de domingo já que VOCÊS fornecem o conteúdo pra mim através dos seus textos, hahahaha! Todo mundo devia fazer isso de tempos em tempos, é sempre pertinente divulgar conteúdo bom, então vem ver o que apareceu de melhor na minha telinha entre 1º e 7 de dezembro.

Links da Semana

Uma curiosidade, inclusive, antes de começar oficialmente, é que todos eles visitei graças a numa interação de blogs que participei num grupo do Facebook, gente, olha como essas coisas acabam nos trazendo momentos de leituras gostosos, né?

O Diário de Nisha, por Memorialices: Bom, vou pular a parte em que sou suspeita pra falar da Lu pois absolutamente ADORO essa pessoa incrível, pipipi, popopo, pra falar dessa resenha maravilhosa que ela fez de “O Diário de Nisha”… Não vou comentar a temática do livro porque quero que vocês passem lá pra ler (né, gente!), mas eu simplesmente CHOREI no post dela, de tão sensível que a história é! Fora que o livro é maravilhoso, tem desenhos delicados no corte de página, nossa, sem defeitos.

Livros: Ted Bundy – Um Estranho ao Meu Lado, por Shiny Bubbles: Mais uma resenha de livro, e mais resenha de livro da Dark Side Books! Essa um pouco mais impactante, por não ser ficção e sim um relato da vida de um dos psicopatas americanos mais famosos de todos os tempos por alguém que foi próxima dele. Pessoal e, de acordo com a Paty, sem romantizações. Vale a pena o frio na espinha depois, hein…

Bolo de limão, decorações de natal e a saga do cabelo, por Abacate Tati: Eu estou absolutamente APAIXONADA por esse post pessoalzão cheio de assuntos delícia da Tati! Ela falou de conexão com natal, mostrou mais uma etapa de uma mudança que tá fazendo nos cabelos e, aaaaah, deu uma RECEITA DE BOLO DE LIMÃO VEGANO que me deixou aqui com siricutico de fazer também. MARAVILHOSA!

Na última vez que fiz esse tipo de post, 2 anos atrás, rolou um apelo de mim pra mim mesma pra renovar a imagem dessa tag aqui no blog em 2018… Pois bem, não foi lá, não foi agora e fica aqui no ar a esperança de eu tomar tento na cara em 2020 e finalmente fazer isso, porque essa resiste firme e forte desde a primeira edição dos Links da Semana… Que vergonha, Luly Lage, que vergonha…

Continue Reading

Entre Cartas e Amores

Entre Cartas e Amores

Eu lembro direitinho qual foi o primeiro post do Entre Cartas e Amores que me marcou pra valer… O título era “Amores Estrela Cadente” e foi parar numa lista de Links da Semana aqui, de tanto que gostei. Sabe quando você sente que poderia ter escrito cada uma daquelas palavras? Foi assim mesmo. Eu tinha acabado de voltar de uma viagem muito especial que tinha me dado o que eu achava que se encaixava ali (mal sabia o que estava por vir), o frio na barriga das lembranças que essa leitura me causou foi tão forte que parecia que tava acontecendo tudo de novo.

Entre Cartas e Amores

Depois disso me tornei fã da escrita da Karol. Até quando ela produz sobre o que não posso me identificar eu tô lá, cheia de sentimentos. Acho que falar de amor tem disso, não importa muito como foi o sentimento, mas se já sentiu alguma vez consegue visualizar um pouco o do outro, ainda que nunca seja 100% igual. Talvez por isso o blog dela seja tão gostoso de acompanhar: a gente não sabe se é “baseado em fatos reais”, mas sempre poderia ser. Mesmo quando o texto é de um dos colaboradores é sempre ótimo, faz jus ao estilo, dá aquele match que leva ao casamento, de tão perfeito pra todo e qualquer momento. É um blog que conversa com o coração, e taí alguém com quem é bom a gente deixar um interlocutor falar.

Não foi à toa que ela é, inclusive, a autora de um dos dois depoimentos de blogueiros (e leitores beta) que foi parar na quarta capa do meu livro quando decidi colocar a tão sonhada versão impressa dele pra acontecer! Eu queria dois, um de cada gênero, e ela e o Adriel foram os primeiros nomes que me vieram à mente porque vejo ambos publicando livros ao longo dos tempos que estão por vir… Não dava pra colocar qualquer pessoa, mesmo porque não foi qualquer pessoa que recebeu antes da hora. Ainda assim, podia ter mandado pra outros e tirar os textinhos dali, né? Mas não precisei, já tinha quem era ideal e vai ser sempre com orgulho pessoal que vou saber que eles topara entrar pra sempre na minha história, em todos os sentidos da palavra, desse jeito.

É legal porque depois que a gente conhece a pessoa as coisas fazem ainda mais sentido, sabe? É óbvio que uma libriana convicta teria um espaço pra registrar relações, com foco nesse plural! É sentimento demais emanando de uma pessoa só pra não deixar em público. Fico feliz demais que ela tenha optado por fazer isso, o que começou em mim com uma metáfora astronômica se transformou em sorrisos frequentes de canto de rosto a cada palavra. Já são (mais de) 3 anos fazendo questão de acompanhar, e eu sei que não é por aí que vai parar. Obrigada, Karol, por transformar suas cartas e seus amores em deleite pra leitores, sua maneira é a melhor possível que existe pra converter o presente numa forma de nos presentear.

“Sempre que me perguntam, digo que escrevo sobre amor. Mas essa é a maior mentira que eu conto. Eu não escrevo sobre amor. Escrevo sobre você. – Entre Cartas e Amores

Interação United Blogs

Esse post faz parte da BLOGAGEM COLETIVA de dezembro do United Blogs, que tem como tema da vez AMIGO SECRETO: “escolha um blog que você conheceu através do nosso grupo, ou um blog que você acompanha e que faz parte do grupo e faça um post dedicado a ele”. Veio ao ar bem início do mês porque pra escolher o ECEA (assim como no caso do livro) eu nem precisei parar pra pensar… Vjea outros textos participantes em Imprevistos Musicais, Mundinho da Hanna, Essência de Flor, Estante da Pipoca, Mais Paz e Amor e Epílogo em Branco

Continue Reading

Wishlist 3×3: All Star

Wishlist 3x3: All Star

É aquela época do ano de novo, onde tudo está brilhando, decorado, Papais Noéis aqui e ali despertando o instinto consumidor que a gente passou o ano todo tentando reprimir… E como desejar (ainda) é de graça e até divertido, se feito com consciência, vira e mexe aproveito essa maratona de posts do Blogmas pra criar minhas wishlist, tanto pra “colocar pra fora” meus próprios desejos como também descobrir o que quero de verdade e o que é só o bom e velho “fogo no rabo”… E aí que tenho sentido que a vida acadêmica me leva de volta ao amor por All Star, gente!

Quando tava terminando o Ensino Médio e entrando na faculdade essa paixão antiga bateu e passei aaaanos só usando isso, quase até a formatura. Eu tinha MUITOS, e alguns chegaram a durar uma década, equanto outros usei tanto que nem completaram seu primeiro aniversário. Hoje em dia sobrou um só que, coincidentemente agora que comecei minha pós e resolvi tentar mestrado (esse ano não rolou, ainda tô mega triste, mas quem sabe na próxima?), virou um companheiro de todas as horas porque voltei a amar! Por isso fiz uma seleção de 9 modelos que queria super ter pra renovar esse cenário, e quem sabe em 2020 os ventos não mudem de forma positiva e um ou outro acabe se tornando realidade… (Alô, Cosmos, manda uns jobs aí pra nós!)

Wishlist 3x3: All Star
Todas as imagens desse mosaico foram retiradas do site da loja Virus 41 em 20/11/19

1. Cano longo, rosa: O mais desejado a gente mostra primeiro. Eu tive um de cano curto, meu pai me deu de presente assim que passei no meu primeiro vestibular, e ele justamente quem me acompanhou por 10 anos até minha mãe intervir pessoalmente e confiscar porque tava assim… DESTRUIÇÃO TOTAL, hahahaha! Tem até um look antiiigo aqui no blog com ele. Demorei um pouco pra cair nas graças dos canos longos, tanto que nunca tive nenhum, então por que não estrear o uso com minha cor favorita, né?

2. Cano baixo, preto: Agora meninas, atenção pro choque de uma diversas vezes e agora renovada apaixonada pela marca… Eu NUNCA tive um preto clássico desses! Já tive um estilizadinho, que também apareceu num post, cheguei a usar um da minha irmã algumas vezes que tinha a faixa preta e ficou apertado nela (nós calçamos o mesmo número, mas meu pé é um pouquiiiiinho menor), mas esse aí mesmo nem calcei. Quero! Olha que coisa linda, que coisa clássica, que coisa que não tem como errar ao usar!

3. Cano baixo, azul marinho: Não tive preto, mas tive jeans, e absolutamente amava! Marcou demais minha pré adolescência e fiquei mega tristinha quando passou a não caber mais. Na época escolhi o que é clarinho, mas hoje em dia sou mais das lavagens escuras e bem que queria um desse azul pra combinar com as migas que têm o seu preto de cano alto¹…

4. Cano baixo, rosinha: Então, acho que já deu pra perceber, mas ressalto agora, que variedade de cores não é muito meu forte, sabe? Meu guarda roupas é formato basicamente de preto, o resto da escala de cinza que vai até o branco (esse foi incorporado recentemente), jeans/azul escuro e tons de rosa e vermelho… Então os sapatos não vão ser muito diferentes! E já que temos um rosão comprido por que não o rosinha curtinho pra complementar?

5. Cano baixo, bordô: Falando em vermelho, não podia faltar! Namorei um modelo vermelhão mesmo, bem da cor dos batons que uso todos os dias, mas esse bordô… Ai, ele ganhou meu coração! Achei chique e bem mais versátil, quero.

6. Cano baixo, cinza com detalhes rosa: E leeeembra o All Star que mencionei logo aí em cima que usei TANTO que não durou nem 1 ano? Pois bem, ele era justamente nessa vibe! Não saía do pé de jeito nenhum e tive que jogar fora porque realmente RASGOU, não dava pra tentar salvar. Acho que se tivesse outro parecido seria sucesso e esse é mais bonitinho ainda porque tem o cadarço decoradinho, apaixonei pela linha toda, mas por ele mais!

7. Cano alto, branco estrelado: Branco é clássico, e como tenho vestido cada vez mais depois de um período onde eu não tinha NENHUMA peça dessa cor no meu guarda roupas (nem meu jaleco que usava na faculdade/estágio, pra vocês terem ideia) me vi na “necessidade” de escolher, mas já fui no menos básico de todos, hahaha! Sei que tem vários mais icônicos, mas esse com bordados em arco-íris, gente… COISA MAIS LINDA! Tem de cano baixo também, pra assim ele tem mais espaço pros detalhes, sabe, que primor!

8. Slipers, preto estrelado: Aliás a linha toda desse estilo é um primor. Como sou mais do preto decidi que queria colocar um deles no meu coração, sairemos um pouco desse padrão de tênis-tênis-tênis e OLHA ESSES SLIPERS QUE TCHUTCHUCOS! Tá pra nascer modelo de sapato mais confortável, Brasil! Nem chinelo é tão gostoso de calçar, sejamos sinceras aqui.

9. Cano alto, camuflado: E agora, pra fechar com chave de ouro, um modelo que só adicionei na wishlist porque é lindo, mas que eu JAMAIS USARIA NA VIDA. Já fui mega fã de estampa militar numa época que elas bombaram no início dos anos 2000 e até acho bonito, tanto que selecionei isso, mas hoje em dia vocês nunca vão me vendo usar algo parecido por causa da simbologia, eu sou uma pessoa que não simpatiza com militarização de nada nessa vida, fica só pra constar mesmo e é isso aí.

Agora me contem: que cês acharam da seleção, gente? Devia ter variado mais? Tô certa em escolher (ainda que de “mentirinha”) só o que usaria de verdade? Qual seu favorito? Me conta aí nos comentários!

¹ Nando Reis. All Star. Para Quando o Arco-Íris Encontrar o Pote de Ouro. Seattle: Warner Music Brasil, 2000. Faixa 2.

Continue Reading

Você sabe o que é empréstimo consignado?

Você sabe o que é empréstimo consignado?

Final e início de ano é uma época com vibe super gostosa por causa das festas, comemorações, muita comida, encontrar gente querida e, claro, toda essa ideia de renovação que nos faz botar em prática projetos pessoais e profissionais com os quais tanto sonhamos… Mas também é um período com MUITA coisa pra pagar, né? Impostos aqui e ali, presentes e lembrancinhas pras algumas pessoas (e até pra gente, mesmo), eventuais gastos desse projetos que estão começando… Não tem 13º que aguente! Alguns se planejam com mais tempo pra colocar tudo em prática, mas pra maioria fica difícil, então é o momento onde mais gente busca opções de EMPRÉSTIMO pra aliviar a carga. E, pr’aqueles que já têm uma renda fixa, o empréstimo consignadoo acaba se tornando a melhor opção… A gente escuta muito falar desse tipo de serviço em propagandas na TV, rádio e internet, mas você sabe do que se trata?

O empréstimo consignado nada mais é, segundo o Grupo AMP, “uma das formas de crédito, prevista pelo Banco Central, na qual a forma de pagamento da pessoa que pegou o crédito é feita através de uma parte do seu salário ou do seu benefício”, ou seja, as parcelas são descontadas automaticamente quando você recebe, como uma conta normal em débito automático a ser adicionada na sua lista de gastos. Dessa forma o cliente fica menos propício a esquecer e acabar com nome sujo na praça… Além disso ele oferece taxas de juros menores que outros tipos de crédito, justamente por essa garantia que torna o risco de um calote MUITO pequeno! É bom pro banco e pra pessoa que contrata, ao mesmo tempo!

Você sabe o que é empréstimo consignado?
“Não podemos prever o futuro, mas podemos criá-lo.” – Peter Drucker

Aqui em casa rolou um empréstimo consignado pelo Banco BMG logo que minha mãe aposentou, que é por onde ela recebe o benefício. Foi maravilhoso porque colocamos as contas em dia, ela me ajudou a comprar um celular novo – que eu tava precisando! – e mesmo pagando até hoje, as parcelas não pesam tanto na nossa rotina… Valeu MUITO a pena, e se a gente tiver algum aperto daqui pra frente existe a possibilidade de refinanciar a dívida pra facilitar ainda mais. Nesse caso o cliente recebe o troco e ainda tem aumento no número de prestações… Afinal, imprevistos acontecem, é sempre bom ter esse tipo de alívio caso algum “perrengue” apareça. Nunca se sabe, né?

Acompanhe as redes sociais do Grupo AMP para ficar de olho em novidades e ver onde tem uma loja perto de você! Facebook: @grupoampcredito | Instagram: @grupoampcredito

Psiu! Pres’tenção! Esse post foi feito em parceria com o Grupo AMP, mas os relatos pessoais que constam nele são VERDADEIROS e SINCEROS, ok? Os textos por aqui não são consignados, mas também num tem “calote”, não, cês sabem!

Continue Reading
1 2 3 8