Momento Inhotim!!

– Porque já virou tradição eu ir ao Inhotim nas primaveras, já que fui com a turma da faculdade em 2008 e com o Gugui em 2009. Esse ano foi domingo, ante-ontem, com Lili, Drizinha e Daninha, e pretendo voltar lá ainda nesses próximos 2 meses porque abriu muuuita coisa nova que não deu tempo de a gente ver.

Inhotim

– Eu na verdade já estou virando meio que Guia em Inhotim. Do Gugui eu já fui uma gui boa, mas agora fui ótima, porque já tracei meio que um perfil de visita que tivesse as obras mais importantes e aí deu pra leva-las nessas obras mesmo com as três reclamando que estavam andando demais (só a Lili já foi lá antes, e quando foi alugou o carrinho). Foi muito bom, deu inclusive para conhecer muitas das novas obras e umas que TODAS as vezes que eu ia lá estava viajando e é tipo… Incrível. Pena que nessas a gente não pode tirar foto jamais mesmo.

Hélio Oiticica @ Inhotim Hélio Oiticica @ Inhotim
Hélio Oiticica

Jarbas Lopes @ Inhotim Jarbas Lopes @ Inhotim
Fuscas do Jarbas Lopes (que estavam na galeria Praça, dessa vez)

Adriana Varejão @ Inhotim Lézart @ Inhotim
Adriana Varejão (a foto mais linda que tirei no ano) e Lézart

Folly @ Inhotim Folly @ Inhotim
Folly – Valeska Soares (chegando e de longe)

Folly @ Inhotim Folly @ Inhotim
Nós 4 refletidas nos espelhos de Folly – Valeska Soares… Muitas fotos dessa obra porque foi o meu trabalho de fim de semestre ano passado!!

Galeria Praça @ Inhotim Dominiqui Gonzalez-Foerster @ Inhotim
Galeria Praça e Dominiqui Gonzalez-Foerster

@centoeoito @ Inhotim Inhotim
Nós 4 ainda em Folly (hihi) e eu e Lili descansando (minhas pernas precisam de SOL, gente!!)

– Falando sobre as novas obras… Tinham várias obras que estavam no lugar de outras em algumas galerias, o que em alguns pontos foi legal e em outros nem tanto. Não tivemos tempo de ir nas galerias novas, então pode ser que tenham só mudado de lugar, porque a única galeria nova que visitamos tinha uma obra antiga, e é dessa galeria que vou falar: COSMOCOCA!! Logo na entrada eles te dão uma sacolinha pra guardar o sapato (ao contrário da outra obra em que tem que tirar o sapato – que é a que falei que sempre viaja, “Desvio para o Vermelho”, que é linda, mas no final você vira numa parede e se sente num filme de terror). Aí dá de cara com uma estrutura de pedra que mais parece um labirinto com 5 salas ALTAMENTE interativas!! Assim, muito mesmo!! Uma, como eu disse, já existia, que é com redes e rock rolando solto. A outra é MUITO SEM GRAÇA, uma piscina que parece que você pode colocar os pés ou sei lá. E aí a gente descobre as 3 salas mais legais do mundo. A 3ª é cheia de balões e a gente brinca com eles, o chão é em ondas e tem todo um clima vintage. Numa outra é bem escuro, com músicas diversas e colchões azuis, onde você deita e fica lixando as unhas com as lixas que tem lá. E, enfim, a mais legal de todas… O chão é de ESPUMA e tem formas geométricas em espuma, e você fica lá brincando e afundando. Nós tentamos tirar umas fotos, mas escuro e falta de flash não combinam (e mesmo o monitor num tando lá eu não liguei o flash, porque NÃO PODE tirar foto dentro das obras, gente!!).

Cosmococa @ Inhotim Cosmococa @ Inhotim
Esse borrões humanos somos nós, morrendo de rir e brincando que nem criança!!

– Só que foi nessa última sala que falei que aconteceu uma coisa meio sinistra. Lá é muito abafado e o cheiro não é agradável porque mesmo essas obras sendo novas (elas abriram quinta feira) as crianças se divertem muito ali e, bem, a gente não sabe o que elas fazem… Né…
E aí juntou isso tudo com o fato de que nós pulamos sem parar e não tínhamos “almoçado-lanche” ainda e eu comecei a passar muito mal… Acho que o cheiro foi o principal… E pra sair é um terror, porque você vai afundando na espuma e na hora da saída sempre cai, aí a Lili caiu e eu caí junto e foi todo um efeito dominó… Demorei muito pra conseguir levantar e saí correndo da galeria, achei que ia passar mal de verdade. Mas depois ficou tudo bem. Mas fica a dica: diversão com moderação, crianças, nada de ficar pulando demais e depois não dar conta de levantar…

– Essas e outras fotos estão no Flickr, só clicar na foto aqui mesmo que ela abre e dá pra ver melhor. E para saber mais sobre o Inhotim é só entrar no site http://inhotim.org.br/, vale muito a pena.

Continue Reading

Halloween no Inhotim

Ok, ok, outubro não foi meu melhor mês blogueiro e sei que novembro vai caminhar mais ou menos do mesmo jeito… Fim de semestre, minha gente, sabe como é, né!! Mas dezembro tá aí, loguinho eu vou fazer posts quase diários, hehehehe

– Ééééér, não, não é mais um post de divulgação de eventos culturais, hehehe… Esse aqui é altamente pessoal, porque meu 31 de outubro desse ano foi, terminantemente, o melhor!!
Tenho um trabalho para apresentar agora dia 10 sobre uma das artistas do Inhotim e decidi que teria que voltar lá para poder dar uma olhadinha melhor na obra dela e tudo mais. Então duas semanas atrás comentei isso com o Gugui e ele pediu que eu o convidasse para ir comigo, hihihi… Aí depois de 7 dias de tentativas telefônicas conseguimos combinar às 11 e meia do dia 30 que passaríamos nosso sábado lá, não só pelo trabalho, mas também porque eu já tinha prometido ser “guia” dele quando ele fosse lá.

– Pra quem não se, o Inhotim é um museu de arte contemporânea que fica em Brumadinho, a mais ou menos 1 hora e meia de Belo Horizonte. É um lugar aberto, altamente enorme e lindo, onde você vai andando por meio daquela paisagem incrível e visitando as galerias, mais incríveis ainda. Eu fui lá em novembro do ano passado e mesmo assim me encantei tudo de novo vendo as obras já conhecidas e as novas que inauguraram recentemente. Quem estiver de passagem por Belo Horizonte eu REALMENTE recomendo que dê uma passadinha por lá porque vale a pena pra quem ama arte, pra quem odeia, pra quem é indiferente: pra qualquer pessoa!!

Inhotim ?

– Ser “guia” do Gugui foi MUITO mais difícil do que eu imaginava, porque ele parecia criança quando vê doce!! Queria sempre pegar, pelo menos encostar nas coisas, e eu ficava lá do lado segurando a mão dele, tentando impedir ele de interagir com o que era proibido ou até mesmo interagir “demais” com o que era permitido. A gente andava, tirava foto, ria MUITO e ele me ajudou a analizar de todas as maneiras que era possível a obra que, no caso, era a que eu tinha ido estudar. Foi mais do que lindo, que agradável, que especial: foi IDEAL!! A ida, dentro do ônibus, foi tão demorada, a gente queria muuuito chegar!! E a volta, aiaiai, nunca vi uma viagem tão rápida… Gugui, “travesseiro” melhor do que seu ombro não existe!!

Continue Reading