5 covers femininos de “Wish You Were Here”, do Pink Floyd

5 covers femininos de Wish You Were Here, do Pink Floyd: mosaico com fotos das artistas Miley Cyrus, Ana Torroja, Elana Dara, Allane Carvalho e Benedetta Caretta

Wish You Were Here, do Pink Floyd, está no meu top 5 de músicas favoritas, tanto que a usei de título do meu primeiro livro, “Wish You Were Here: um romance musical”. Ao longo dos 10 anos que se passaram entre ter a ideia pra história até enfim publica-la, em julho de 2019, e até mesmo depois disso, eu acumulei uma verdadeira coleção de versões dessa música, em todos os tipos de vozes e estilos imagináveis, desde figurões de nome tão “grande” quanto seus compositores originais até descobertas que sites e aplicativos de música vão me sugerindo aqui e ali enquanto os exploro. Por isso resolvi trazer 5 deles pra cá, todos cantados por mulheres, pra compartilhar um pouquinho desse deleite com vocês que também gostam – ou não – dela tanto quanto eu…

… mas antes…

O álbum “Wish You Were here” foi lançado pelo Pink Floyd em 1975, gravado nos estúdios Abbey Road. Ele tem apenas 4 músicas, entre elas a que dá seu título, sendo “Shine On You Crazy Diamond” dividida em partes entre Lado A e B, totalizando 5 faixas. O álbum, que contou com o vocal convidado de Roy Harper, é um tributo da banda ao ex companheiro e um dos fundadores do grupo Syd Barrett, que sofreu um colapso mental possivelmente causado pelo uso de drogas, deixando-os em 1968 e abandonando definitivamente sua carreira musical quatro anos depois. As letras falam, cada uma a seu modo, sobre sua ausência, os impactos da indústria na qual estavam inseridos e, claro, a perda do “brilho solar” de “diamante louco” que tinha antes. Existem ouras composições da banda em tributo a Barrett, que faleceu em 2006 aos 60 anos.

5 covers femininos de Wish You Were Here, do Pink Floyd: mosaico com fotos das artistas Miley Cyrus, Ana Torroja, Elana Dara, Allane Carvalho e Benedetta Caretta

Leia também: Top 5: Músicas chamadas “Wish You Were Here”

01) Miley Cyrus

Em abril do ano passado a Miley cantou sua própria versão desse clássico no Saturday Night Live At Home, versão adaptada do SNL durante a pandemia. O visual ficou lindíssimo, com chamas vermelhas em volta, e fez justiça absurda à voz INCRÍVEL que ela tem. Acho que é o cover de Wish You Were Here mais maravilhoso que já ouvi – e olha que eu realmente tenho várias aqui nos favoritos! Palavras pra expressar a lindeza até faltam, precisa realmente ser ouvida.

02) Ana Torroja

A ex-vocalista do Mecano e técnica do The Voice Chile gravou essa música pro seu álbum solo “Frágil”, de 2003. Agora com 40 anos de carreira (e mais de 60 de idade) não tem como nem a gente negar que a voz da mulher é maravilhosa, né? Confesso que não conheço esse cover específico há tanto tempo, mas no dia que ouvi a primeira vez vez, pronto, me apaixonei de cara, impecável.

03) Elana Dara

A curitibana Elana Dara gravou essa versão no começo do canal dela, não só cantando mas também tocando violão. De acordo com a descrição do vídeo, é uma das músicas favoritas do pai e, por isso, decidiu gravar. Hoje, mais de dois anos depois, ela já bateu os 500 mil inscritos por lá (e quase isso no Instagram), além de ter suas músicas e colaborações disponíveis em várias plataformas de streaming.

04) Allane Carvalho

Mais uma brasileira no violão, mas com uma voz completamente diferente pra gente variar bastante as coisas! A Allane já está ativa a mais tempo como cantora, é do Mato Grosso e também tem vídeos de seus trabalhos num canal do YouTube. Ela trabalha cantando em bares, restaurantes e afins e preciso dizer: a transição do tom de voz da letra pro “nananã” que ela faz é muito, muito maravilhosa…

05) Benedetta Caretta

Fechando com chave de ouro porque sou IMPACTADA por essa voz ESTUPENDA, fiz questão de ouvir vários outros covers depois desse… A Benedetta é italiana e conhece bem o poder da própria voz, porque tem versões de artistas ousadíssimos, como Queen, Whitney Houston, Lady Gaga e Adele. Um spoiler: são todas impecáveis. Eu tive que me inscrever no canal dela porque não quero perder mais nada… Quem estiver aí, com um tempinho a mais, faça um favor a si e escute a versão dela da primeira parte de Bohemian Rhapsody, sério mesmo, e de How Deep Is Your Love, do Bee Gees, onde ela faz AS TRÊS VOZEEEES!!!

Agora, antes de sair daqui, me conta… Qual das cinco foi a sua favorita? Apesar de ter minha bandeirinha eternamente sacudindo em prol da Miley não posso negar que é páreo duríssimo!

Continue Reading

Barbie Elton John

Barbie Elton John

Se você já entrou nesse blog ou nas minhas redes sociais alguma vez sabe que tenho dois ídolos, acima de todos os outros, os ícones que mais admiro na vida e que são tema frequente da minha produção de conteúdo: Barbie e Elton John. A primeira pela companhia constante que me fez por anos, ensinando a mim e a muitas meninas que elas podem ser o que quiserem, cada vez mais, e o segundo não só pelas músicas que me fazem tão bem, mas principalmente pelo trabalho filantrópico e simbolismo de quebra de preconceito que representa pro mundo. Amo, consumo, admiro e COLECIONO os dois, sempre que possível, como se fossem pessoas (mesmo que ela seja uma personagem/boneca) presentes meu dia a dia, o que se parar pra pensar é verdade. E agora meus ídolos se juntaram em uma coisa só com o lançamento da Barbie Elton John!

“Barbie® presta homenagem ao lendário cantor, pianista e compositor Elton John. Artista solo masculino de maior sucesso de todos os tempos, Elton acumulou inúmeros álbuns de ouro, platina e até mesmo um diamante, além de inúmeras conquistas da indústria musical ao longo de sua carreira. A Barbie® Elton John brilha com um top brilhante e jeans alargados embelezados com suas iniciais cintilantes. Sua jaqueta bomber com relevo ‘Elton’ apresenta mangas estampadas com estrelas e uma bainha listrada com arco-íris. O aceno ao estilo icônico do artista inclui botas plataforma listradas com o arco-íris, um chapéu-coco roxo e óculos de sol brilhantes em tons rosa. A Barbie® Elton John é uma colaboração ousada que personifica dois ícones culturais e homenageia a extraordinária arte e musicalidade de um artista estelar. Inclui boneca, stand e certificado de autenticidade.” (Traduzido da loja oficial da Barbie.)

Então eu já peço desculpas a você aí, que esperou se deparar com uma publicação séria, profissional e compenetrada ao clicar nesse post, porque antes de continuar com ele, sempre em estado de surto, eu preciso me manifestar da forma mais pura e sincera que consigo nesse momento: AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!!!!

Barbie Elton John: detalhe do rosto
Tronco e rosto (imagem do Instagram @eltonjohn)
Barbie Elton John: boneca de corpo inteiro ao lado de um piano
Posando de corpo inteiro (imagem do Instagram @eltonjohn)

Eu absolutamente AMEI que essa boneca não representa um visual específico do Elton John, como foi na Barbie David Bowie, por exemplo (o que acho bem legal também), mas sim todo um CONCEITO do estilo dele ao longo dessas 5 décadas de carreira marcada por sucesso estrondoso. A calça jeans boca de sino, sapato com plataforma exagerada e jaqueta são bem a cara dele, principalmente nos visuais mais “fantasiados” do início da carreira, mas ainda representam a imagem de hoje em dia com bordados do nome e iniciais, que ele usa MUITO e com orgulho, cores vibrantes e o arco-íris da bandeira do movimento LGBTQIA+, do qual ele é um ícone claro por ter se assumido gay numa época onde poucas pessoas tinham segurança para isso. Pra fechar tem um chapéu coco com a logo dele, combinando bem lindamente com as cores da roupa.

Leia também: Bonecando: Funko Pop! Rocks Elton John 70’s, post mostrando o boneco de vinil do artistas com muitos detalhes (e amor)!

E, claro, não podia faltar os óculos de sol ultra diferentões e chamativos no pacote, que são marca registrada do cantor! Eles têm aros cheeeios de muito brilho e a cor, como não poderia ser diferente, é o ROSA-BARBIE! Essa união é o mais legal de tudo, a maneira como no visual ela preserva a imagem da boneca em si com os cabelos loiros (suuuper cacheados, beeem anos 70/80), olhos azul e toques de rosa em diversos pontos. É a mistura perfeita dos dois, como se a Barbie fosse a maior fã do Elton John e ele o dela, sabe? Apesar de que, cá entre nós, eles vão ter que ficar em segundo lugar, porque a fã número 1 de ambos sou eu, e tenho dito! A caixa também é linda, toda brilhante com logo e foto dele na frente, além da platéia do Square Madison Garden de fundo.

Barbie Elton John: detalhe da jaqueta de zíper onde se lê ''Elton'' bordado na frente, e da camiseta simples e brilhante por baixo.
Detalhes da jaqueta (imagem do Instagram @barbie)
Barbie Elton John: detalhe da calça com bordado das iniciais do artista na barra (E em um perna e J na outra) e das plataformas de arco-íris.
Detalhes da calça e plataformas (imagem do Instagram @barbie)

Pessoalmente é MUITO maravilhoso pra mim ver esse lançamento não só por unir esses símbolos que amo tanto, mas porque são duas coisas que já foram muito mal vistas na minha vida. O fato de eu amar e colecionar bonecas em escala 1/6 tem na cabeça das pessoas um peso muito grande de “infantilidade”, como se anulasse todas as outras coisas que faço, mesmo que alguns itens da Barbie que tenho (como sapato, por exemplo) sejam destinado a adultas. Já Elton John, bem, eu fui MUITO zoada na adolescência por ser fã “dessa bicha velha” (palavras de uma “amiga” da época) e vê-lo com 50 anos de carreira sendo aclamadíssimo, principalmente depois do sucesso que foi Rocketman, me enche de orgulho de cada minuto que passei o ouvindo, admirando, espalhando a história pras outras pessoas e assistindo ao vivo. inclusive, saudades: volta logo, Elton!

Leia também: Mas… Você brinca de boneca?, um post sobre esse hobby e como o sexismo o torna mal visto.

A Barbie Elton John está em pré venda na Amazon.com por U$50, o que é um preço padrão, mesmo, considerando que ela é uma boneca Barbie Golden Label, destinada a pessoas adultas e suas coleções. O frete pro Brasil, já com as taxas de importação, fica em quase 100 dólares, então preferi não converter e acreditar que um dia, magicamente, terei dinheiro para comprá-la… Normalmente eu falo no final desses posts o quanto fiquei desejando a boneca da vez, mas nesse caso é diferente, né? Eu quero MESMO, do fundo do coração, e espero consegui-la em algum momento da minha vida. Até lá, fico aqui, apaixonada pelas fotos que mostram o quanto é linda…

Barbie Elton John: visão da boneca de corpo inteiro, de costas.
De corpo inteiro, de costas (imagem do Instagram @barbiestyle)
Barbie Elton John: imagem da boneca ao piano, tocando, com duas bonecas ao lado assistindo, uma branca de cabelos rosa e a outra negra de maria chiquinha. Ambas vestem uma camiseta com a imagem da boneca principal.
Por fim uma imagem do Instagram @barbiestyle onde eu apareço, já que claramente sou essa de cabelinho rosa na beirada do palco babando nela, só faltou o batom vermelho mas a gente finge que eu tava fazendo clareamento no dia, tá? Quero essa blusa usada pelas tietes dela pra mim!
Continue Reading

LISTENING TO: Emiliana Prado

LISTENING TO: Emiliana Prado

Você entra na clínica odontológica e encontra uma dentista simpática, séria e compenetrada em seu trabalho, pronta pra te atender como clínica geral ou mesmo fazer uma tão sonhada harmonização facial… Quem diria que debaixo de máscaras, jalecos, toucas, luvas e muito terror para algumas pessoas existem composições musicais sobre nossa existência, maternidade e amor, não é mesmo? Pois é assim que a saúde encontra a arte na vida de Emiliana Prado, natural de Divinópolis que hoje mora na capital mineira e tem na música seu refúgio.

LISTENING TO: Emiliana Prado

Quando a gente fala em “refúgio” muitas vezes pensamos em fugir do que é ruim, pesado e triste, mas para a Emiliana é uma palavra mais abrangente. Ela compõe não só como forma de amenizar ansiedade, especialmente nesse momento da pandemia em que estamos fechados e cheios de incerteza, mas também expressar suas alegrias, entre elas a filha Luana, que já inspirou uma de suas músicas que deve ganhar um clipe em breve.

Anos atrás, ao ingressar na Babaya Casa de Canto, Emiliana conheceu Leandro Aguiar e Luciano Mafra, para quem mostrou as composições e logo recebeu incentivo para grava-las. Demorou um pouco, mas finamente saiu! Agora ela segue usando seu tempo livre, seja em quarentena ou enquanto se recuperava de uma cirurgia ano passado que a deixou um mês em casa, para se dedicar a essa paixão que a acompanha desde sempre.

Leia também: LISTENING TO: Laura d’Ávila, sobre a participante do The Voice Kids 2017 que também estudou na Babaya Casa de Canto e segue cantando até hoje!

Clipe: Milagre da Vida

Nas palavras da própria, que compôs letra e melodia, uma música sobre como “a vida é preciosa”. “Milagre da Vida” foi gravada no Leandro Aguiar Estúdio, com Renata Cabral no vocal principal e uma série de outros artistas contribuindo no instrumental. O clipe da canção está disponível no YouTube com cenas INCRÍVEIS de vários pontos de Minas Gerais, misturando belezas naturais com pontos turísticos arquitetônicos dos mais variados pelo estado afora…

Mais Informações:

Quer conhecer mais da Emiliana? Ela não possui redes sociais destinadas à carreira musical, mas divulga seu trabalho no perfil pessoal do Facebook. “Milagre da Vida” faz parte de uma série de oito músicas que serão postadas no YouTube no canal Luciano Mafra.

Continue Reading

Meu 2019 no Spotify

Meu 2019 no Spotify

Já vou começar esse post mandando uma pergunta: vocês têm o costume de ver como foi o ano musicalmente no Spotify? Porque desde que descobri como fazer isso é um momento pelo qual espero muito animada! Eu AMO música, é meu “tipo de arte” favorito mesmo que eu seja só uma expectadora, então saber o que eu mesma mais gosto sempre teve minha atenção. Fiz esse “controle” por muitos anos via Last.fm, mas agora tem um jeito muito mais fácil e divertido, até com opção de compartilhamento, pra fazer isso, né? Sendo assim resolvi falar um pouquinho sobre meu 2019 musicalmente falando e, oh, já aviso que foi o mais fraco em muuuuito tempo!

Não só porque ouvi pouco música comparando com o resto de toda a minha vida, mas também porque fiz pouco uso do próprio Spotify, mesmo. Voltei a usar bastante meu iPod (carinhosamente chamado de iPudim), que tava meio deixado de lado desde que parei de trabalhar fora, e ouvi muuuuuita coisa no YouTube. Sei lá, às vezes é bem mais prático simplesmente buscar um vídeo lá e ir deixando rolar do que parar pra pensar em qual playlist colocar. Ainda assim foram 4588 minutos ouvidos, a maioria deles no computador mas uma parte via app de celuar, também.

Meu 2019 no Spotify

Minhas músicas mais ouvidas foram “Brain Damage”, “Wish You Were Here”, “Your Song”, “Breathe” e “The Great Gig In The Sky” e dessas apenas da terceira é do Elton John, todas as outras são da minha banda mais ouvida não só nesses mas em TODOS OS ANOS desde que comecei a usar o serviço, em 2016: Pink Floyd. É minha banda favorita, maior parte da trilha sonora do meu livro, que inclusive tem o título da segunda música mais ouvida esse ano (e tenho suspeitas que tá na colocação errada!), não me surpreende em nada. Além deles também teve muito Led Zeppelin, Elton John, David Bowie e The Beatles<, ou seja, um bando de homem britânico velho, né? Oficialmente preciso ouvir mais mulheres brasileiras jovens, é isto!

Apesar de não variar muito no que escuto, confesso, fui informada que ouvi 55 novos artistas esse ano e, sinceramente, não faço IDEIA de onde saiu isso tudo, mas se o site falou, tá falado! O principal, é claro, foi Taron Egerton, que interpretou Elton John no filme Rocketman e regravou todas as músicas presentes nele. Foi, de longe, meu filme favorito do ano, uma maneira linda de contar a história do meu maior ídolo, não podia ser diferente. Ouvi e trilha sonora várias e várias vezes sem cansar.

Meu 2019 no Spotify

Voltando pro Pink Floyd um pouquinho, porque é inevitável, eles foram não só meus artistas do ano, com 15 horas de música no total, mas também da década de 10, que se encerra em poucos dias. De acordo com o aplicativo, “Wish You Were Here” foi minha música mais ouvida deles em ambos os casos, o que me faz desconfiar demais dessa “Brain Damage” como a mais ouvida da vez, ainda que ela também esteja na trilha do livro. E é engraçado porque faz exatamente 10 anos que comecei a gostar da banda pra valer, justo na época que tive a ideia pra história, meu primeiro romance e eles entraram juntos na minha vida e caminham lado a lado nela, pra nunca mais sair. Provavelmente será o destaque a década de 20 também, quase sem sombra de dúvidas.

Pois bem, teve mais deles no resumo de cada estação do ano! Essa retrospectiva me contou que minha favorita do verão foi “Always Remember Us This Way”, da Lady Gaga para o filme Nasce Uma Estrela, mas no outono e no inverno foram apontadas “Wish You Were Here” e “Brain Damage”, mais uma vez e respectivamente. Na primavera, pra variar um pouquinho, foi “Stairway To Heaven” do Led Zeppelin… Faz total sentido! Teve um dia, a caminho de um curso de extensão que fiz, que meu iPod descarregou logo antes do solo começar, então criei uma playlist SÓ COM ELA lá pra ouvir daqui de casa até o campus de UFMG sem parar, em looping, pra compensar. É, às vezes sou insistente…

Por último, mas não menos importante, foi o ano dos Podcasts! E sabe que esse tipo de mídia só me pegou pra valer bem agora no finalzinho? Tanto que o que eles me disseram ser o mais ouvido foi o “Uma Leitura Toda Sua” da Gabi Barbosa, mas do fim de novembro pra cá comecei a acompanhar alguns e tenho certeza de que fosse um pouquinho antes o “Projeto Piloto”, da Lu Ferreira com a Thaís Farage seria o grande campeão… Inclusive fica como minha recomendação de fim de post, pois é maravilhoso, junto com o pedido de que vocês me contem QUALQUER coisa legal sobre o ano de vocês no Spotify, vou adorar saber!

Continue Reading

Top 5: Músicas chamadas “Wish You Were Here”

Top 5: músicas intituladas Wish You Were Here

Depois de dez anos desde que comecei a escrevê-lo meu primeiro livro, Wish You Were Here: Um Romance Musical, está sendo enfim publicado! Muita coisa já aconteceu, tentei isso de outras formas e, agora, decidi colocar fim nessa espera, fazendo essa publicação por conta própria (haja trabalho!) em dois momentos… Primeiramente um e-book que já está em pré-venda na Amazon por R$5,00 e será lançado oficialmente dia 31 de julho, daqui uma semana. Dá pra ler nos dispositivos Kindle e no app também, tanto pra celular quanto pro computador. Se você aí gosta de um bom romance YA com pitadas de drama (e trilhas sonoras maravilhosas) é só comprar o seu.

Em segundo lugar, mas igualmente importante, tá rolando um financiamento coletivo no Catarse para imprimir algumas cópias físicas. Já imaginou, gente? Eu vou poder tocar no meu próprio livro! A ideia não é imprimir um montão, não, e sim o pessoal comprar através desse site, me ajudando quando possível a juntar mais dinheiro pra pedir mais livros pra quem não conseguir comprar agora. É garantia que vou ter exemplares depois? Não! Mas tem a esperança ainda assim. Além disso tem algumas recompensas a mais se quiser e puder gastar uma graninha extra… O valor unitário é R$28,00, com opção já com frete embutido a 35 pro pessoal que não for de BH (nas outras recompensas, porém, o frete terá que ser pago à parte). A campanha fica no ar até dia 26 de agosto e quem quiser já pode garantir um, também!

Top 5: músicas intituladas Wish You Were Here

Ok, ok, agora jabás à parte, vamos ao que realmente interessa, né? Acho que já deu pra perceber pelo subtítulo, mas esse livro é todo pautado por uma trilha sonora composta só de músicas que eu AMO, sendo a principal delas uma das minhas 5 favoritas da vida: Wish You Were Here, do Pink Floyd! A playlist completa tá lá no Spotify, mas hoje vamos sair dela um pouco… Nessa última década, com esse título sendo tão importante pra mim, eu acabei “colecionando” outras canções de mesmo nome, várias, e hoje trago as 5 que considero melhores entre elas, pra todo mundo ouvir e amar muito também.

01) David Gilmour

Sim, David Gilmour, Pink Floyd, mesma coisa, né… Nesse caso é mesmo, só que a principal delas não podia faltar na lista, uai! Mas aí, pra não usar a versão original que já foi mencionada acima, escolhi uma do David em carreira solo num show que amo, já que ele é o autor dessa queridinha maravilhosa. Ela é música título de um álbum que foi todo dedicado ao Syd Barrett, um dos membros fundadores da banda que sofreu um colapso mental e precisou ser afastado das atividades… A história toda é bem triste e sabendo disso dá pra sentir como foi impactante pra eles ao ouvir todas elas. Ainda assim, convenhamos, é perfeita do início ao fim. (E, sim, eu sou team David, tanto que o protagonista do livro tem o nome dele.)

02) Avril Lavigne

Eu conheci essa música na época do lançamento no antigo blog da querida Paulo Buzzo e quando vi o título pensei “Uau, Avril cantando Pink Floyd!” de cara. Procurei, ouvi, percebi que me enganei e… Fiquei apaixonada! Definitivamente minha favorita dela, sem possibilidades de perder o posto. E o que mais gosto é que pode funcionar tanto como uma música romântica quanto pra outros tipos de relacionamento, sabe?

03) Bee Gees

É claro que esse três irmãos, reis das baladas românticas, têm uma na lista também, né? Vê se uma expressão icônica dessa ia deixar de constar no repertório deles? A letra é bem triste, como é de se esperar, mas a melodia é tão a cara do trio que quem gosta deles não pode deixar de ouvir. Infelizmente não tinha nenhum vídeo dela no canal oficial, então tive que pegar esse em um outro. Espero que não saia do ar.

04) Fleetwood Mac

Outra de ritmo leve, daquelas ideais pra dançar juntinho com o crush pra matar saudades. Acho que deve estar longe de ser um sucesso da banda, parece ser uma daquelas que a gente só conhece por acidente (é o meu caso), mas apesar de soar meio tristinha a letra é bem bonita e gostosa.

05) Florence + the Machine

E pra fechar, dei uma roubadinha… O nome dessa é, na verdade, “Wish That You Were Here”. Mas vocês vão me desculpar, é claro, por motivos de FLORENCE, né meninas! Ela faz parte da trilha sonora do filme “O Lar das Crianças Peculiares”, que não é lá a melhor adaptação de todos os tempos, mas merece seu lugarzinho ao Sol por essa pérola presente nos créditos finais. Olha a voz dessa mulher, gente, eu não sei lidar…

E aí, você já conhecia e/ou gosta de alguma delas? Qual sua favorita? Tem outra “Wish You Were Here” pra me indicar? Me conta aí nos comentários e se preparem porque esse é só o primeiro de uma série de posts que quero fazer pra celebrar o lançamento literário mais importante da minha vida… Até a data de hoje foi escolhida à dedo pois amanhã é 25 de julho, o Dia Nacional do Escritor, e é a primeira vez que posso, oficialmente, considerar meu dia também.

Continue Reading
1 2 3 15